Leão não se considerará campeão

Emerson Leão vai assistir a São Paulo x Atlético-PR pela televisão, em casa. Torcerá pelos jogadores que comandou por mais de seis meses e com os quais ganhou o título paulista, antes de ir para o Japão. Garante, contudo, que não vai pôr no currículo a conquista da Libertadores, caso o clube do Morumbi se torne campeão nesta quinta-feira, embora afirme ter sido o responsável pela montagem da equipe.Agência Estado - Mantém a opinião de que o São Paulo tem 70% de chances de ser campeão?Emerson Leão - Sim, o estádio favorece muito o São Paulo. O time sempre venceu jogos importantes no Morumbi, há muito tempo não perde em casa pela Libertadores. E o Atlético-PR joga no desespero. Se perder, o clima de euforia vai passar para o desespero, porque a equipe é lanterna do Brasileiro.AE - Se o São Paulo for campeão, você vai pôr o título no seu currículo?Leão - Claro que não, me considero um colaborador. O São Paulo fez um planejamento no ano passado para buscar o direito de ir para a Libertadores. O time estava mal quando o assumi. Conseguimos chegar à Libertadores. Neste ano, melhoramos a qualidade técnica com a chegada do Josué e do Mineiro. Ganhamos o Campeonato Paulista e sempre estivemos em primeiro lugar na fase classificatória da Libertadores. O Autuori chegou, tocou o barco e não precisou fazer muitas mudanças. Perdeu o Grafite e teve o reforço do Amoroso.AE - O Souza disse que, após sua saída e a chegada do Autuori, ficou mais confiante, motivado, e por isso vem jogando bem, o que não ocorria antes...Leão - O Souza falou isso também quando o Cuca saiu, foi a mesma coisa. Só que ele não consegue ser titular. Aliás, ele está escalado para amanhã (hoje)?AE - Não.Leão - Não, né? Então não muda nada. Acho que ele está confiante para ficar no banco. É um bom elemento, um bom jogador, mas não se firma como titular. O Alex (zagueiro) entrou algumas vezes comigo e não foi bem. Agora está bem. O atleta vive de fases.AE - O Falcão (que voltou para o futsal) saiu do São Paulo atirando em você. Disse, por exemplo, que muitos atletas festejaram sua saída. Acha que houve isso mesmo?Leão - O Falcão saiu atirando, mas sem bala. Ele nunca foi levado a um time por treinadores, sempre por diretores. Não deu certo no Palmeiras, na Portuguesa e duas vezes no São Paulo. O problema é que o Leão é o Leão, e ele não deve nem lembrar o nome dos outros treinadores que o dispensaram. Ele é craque no futsal, mas como profissional de futebol é zero. O Falcão é muito pequeno, o vôo dele é baixo. Não posso falar o que os jogadores falavam dele. Quando saí do São Paulo, apesar das merdas que falou, desejei a ele o melhor possível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.