Leão: "Não temos o que reclamar"

O técnico Emerson Leão procurou manter a tranqüilidade depois da derrota para o Brasiliense, mas não poupou o time pela má atuação, especialmente no primeiro tempo. "Parece que sofremos uma dengue coletiva", afirmou o treinador. "Nosso primeiro tempo foi lamentável. Tentamos melhorar no segundo, mas não conseguimos o que pretendíamos. Não temos o que reclamar, nem do árbitro, nem do gramado", comentou Leão. Para o treinador, não há apenas um culpado pelo resultado adverso. "Não podemos apontar somente os erros de marcação no meio-campo, pois os atacantes também não fizeram os gols", ponderou. "É preciso ter a cabeça no lugar. Em 11 jogos, sofremos só uma derrota. Só não podemos acostumar com ela", alertou. O meia Pedrinho concordou com Leão. Reconheceu que o time não atuou bem e procurou aliviar a pressão sobre o elenco. "Criou-se uma expectativa muito grande, em razão da série invicta. Parecia que iríamos mantê-la até o fim, mas o futebol não é dessa forma", observou. "Às vezes, a gente pensa que um jogo vai ser fácil, mas se torna complicado." O meia Juninho lamentou a baixa produção do time, mas não reclamou por ter sido substituído, no intervalo, por Washington. "Quando o time não cria as chances de gols, os meias é que são culpados, mesmo", disse. O zagueiro Daniel lamentou a reação tardia. "Demoramos para reagir no placar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.