Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Leão pode disputar presidência da CBF

O técnico Emerson Leão surpreendeu hoje ao admitir a possibilidade de vir a disputar a presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) assim que deixar o trabalho de campo. Está com 54 anos e quer abandonar a carreira de treinador aos 60 anos. "A partir de então, posso vir a ser um diretor-executivo na área de esportes e, quem sabe, dirigir a entidade." Leão concedeu entrevista logo depois de ouvir dos auditores da 2ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) sua punição por "atitude inconveniente" em jogo recente do Santos com a Ponte Preta: foi multado em R$ 270,00. Ele assistiu ao julgamento no Rio e disse que o árbitro Romildo Corrêa foi rigoroso ao expulsá-lo. "Eu apenas pedi cartão amarelo a um atleta da equipe adversária, após uma falta." O presidente da sessão, Aloysio Costa, leu o vasto histórico de passagens de Leão pela Justiça Esportiva. Mas, assim como os demais auditores, não considerou grave a última infração do técnico. Com isso, Leão escapou de uma possível suspensão de 20 a 60 dias. Sobre sua relação com o atual presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que o demitiu após a Copa das Confederações, em 2001, Leão foi irônico. "Não sou Virgem Maria para sair perdoando os outros por aí." Ele criticou o excesso de seleções brasileiras criadas pela entidade (além da principal, há outras cinco) e as seguidas convocações. "Isso traz muito problemas para os clubes."

Agencia Estado,

05 de agosto de 2003 | 18h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.