Leão prefere criticar o árbitro

O técnico Emerson Leão não mostrava muita iritação com a derrota de 4 a 0 do Santos para o Paulista, na noite desta quarta-feira, em Jundiaí. Oque mais incomodou o técnico santista foi o que o árbitro Paulo Césarde Oliveira teria dito ao zagueiro Alex. "Ele (Alex) me disse que quando foi falar para o Paulo César que ele estava de brincadeira, o Paulo respondeu que quem tinha feito brincadeira era ele, no Pré-Olímpico. Fora isso, ele apitou direito, mas eu acho que o paulo César deveria ser repreendido também", disse Leão. A idéia do técnico santista era desviar o foco da tragédia deontem.Sobre o fraco desempenho de seu time ontem, Leão acredita que não foia pior exibição do Santos nos últimos meses, mas reconheceu os erros."É difícil falar que foi a nossa pior partida. O que eu sei é que hoje(ontem) sentimos o gosto amargo que os adversários sentem quandoenfrentam o Santos. O Paulista foi o que o Santos não foi", comentou otreinador santista. Segundo Leão, tomar o gol antes do primeiro minutodesestabilizou o time."Ainda tivemos oportunidades para virar, mas enquanto a gente perdiacinco chances, eles iam lá e marcavam um. Se jogássemos até agora, elesteriam feito o quinto gol e a gente, perdido mais cinco gols. Mas àsvezes é bom que aconteça para que aprendamos.No intervalo, ainda tentou arrumar a equipe, colocando Basílio ePereira, nos lugares de Paulo César e André Luís, que haviam recebidocartão amarelo no primeiro tempo. Não adiantou."Não rendemos. Apanhamos e não temos nada para reclamar", admitiuLeão. "Erramos em todos os setores."Outra preocupação de Emerson Leão foi as várias oportunidades de golsdesperdiçadas, como uma de Robgol, embaixo da trave, que cabeceou natrave, e outra de Diego, que, na frente do gol, mandou para fora."É uma coisa que já se tornou a nossa rotina. No segundo tempo até queentramos mais organizados, mas não era a nossa noite."O capitão Renato, tido por Zetti como o mais perigoso do Santos,preferia se preocupar com o confronto da Libertadores, contra oBarcelona, na semana que vem, no Equador."Sabíamos que era uma equipe muito perigosa. Eles se fecharam atrás epartiram para o contra-ataque. Não tiramos os méritos do adversário,mas erramos nas finalizações, perdemos muitos gols. Agora, é concentrarpara o próximo jogo."Já o volante Claiton foi bem objetivo em suas explicações e procurounão arrumar desculpas para a goleada."Não tem explicação. Erramos muito. Demos muito espaço para oscontra-ataques do Paulista."Sempre com poucas palavras, o meia Elano foi humilde na hora dereconhecer a goleada de 4 a 0 sofrida ontem."Isso acontece às vezes, mas serve como um aprendizado. O que nosresta é treinar e corrigir os nosso erros", comentou Elano, que ontemmais uma vez teve de ser o coringa de Leão. Depois da substituição dePaulo César, Elano foi jogar na lateral.O próximo jogo do Santos é pela Copa Libertadores, quarta-feira, emQuayaquil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.