Leão promete força máxima na quarta

Com a volta dos cinco titulares que serviram a seleção sub-23 no Chile, o Santos será reforçado para enfrentar o Mogi Mirim, quarta-feira, na Vila Belmiro. O técnico Leão já tem uma resposta pronta para o pedido de folga que será feito: um sonoro não. Mas vai esperar a reapresentação desses atletas, o que deve ocorrer amanhã. "Vamos aguardar, não vamos sofrer estresse por antecipação", disse. Se depender de Leão, Diego, Robinho, Elano, Paulo Almeida e Alex não serão poupados contra o Mogi Mirim para retornarem no clássico de domingo contra o Palmeiras, pois os dois jogos têm o mesmo valor e representam três pontos. Mas ele conhece seu elenco e já espera que alguns atletas como Diego e Alex cheguem reclamando de dores musculares. Já em relação a Elano, Robinho e Paulo Almeida, acredita que a situação seja mais tranqüila. "Vamos conversar na orelha", comentou. A preocupação de Leão vai além do jogo de quarta, pois sabe que os jogadores terão de se entrosar com os reforços contratados e tem experiência de que os atletas demoram um pouco para voltar à rotina do clube. De olho no Paulista, um campeonato curto e que não pode haver vacilos, Leão está preocupado também com a estréia na Libertadores, dia 5 de fevereiro, e tem pouco tempo para promover o entrosamento da equipe. Em sua visão, o Santos colaborou com a seleção e está sendo prejudicado. Gostaria de ter pulado pelo menos uma rodada no Paulista para dar folga aos atletas, mas a Federação não contemplou essa sua vontade. "É uma incoerência, estamos sendo duplamente prejudicados". E volta a comentar a pretensão de descanso dos atletas: "na seleção eles não folgam, mas querem folga no Santos; vamos ver como eles voltam". Segundo o treinador, seus atletas são jovens e isso compensa a maratona que estão passando. TIME - Mesmo com o desfalque dos cinco jogadores que estavam no Chile, Leão está satisfeito com o desempenho de seu time, que conseguiu uma vitória e um empate até agora no Paulista, somando quatro pontos. Gostou também do desempenho do lateral-direito Marco Aurélio, que substituiu Paulo César no jogo contra o São Caetano e acredita não ter mais problemas nessa posição. Já Basílio, que atuou nas duas partidas disputadas até aqui e marcou o gol do empate contra o São Caetano, comentou que houve um pouco de ansiedade no jogo contra o Oeste, "que foi mais corrido", mas achou que seu time ficou devendo no domingo, "quando jogou com uma equipe mais qualificada". Considera, porém, a experiência boa porque o time do ABC será um adversário dos santistas na Libertadores. "Deu para sentir como jogam e o próximo confronto o Santos vai melhorar ainda mais, pois terá a volta dos cinco jogadores que estavam na seleção". Segundo o atacante, sua equipe vai melhorar muito ainda: "o time foi montado para as quatro competições, não apenas uma".

Agencia Estado,

26 de janeiro de 2004 | 18h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.