Leão provoca e Luxemburgo contra-ataca

A fina ironia foi destilada por Leão no Centro Treinamentos do São Paulo. "As ?celebridades? do Santos vão estar em campo. São jogadores de alto nível. Isso diminuirá a agressividade em campo. Por isso, não acredito que haja violência no clássico..."Não teve nada de ironia na resposta de Luxemburgo. "O que o Leão fala é problema dele. Não tenho ?celebridades?, tenho um elenco ajustado e que busca resultados. São jogadores de talento, não são celebridades", afirmou em Atibaia (SP), onde o time se prepara para o jogo.Ironias e respostas atravessadas não são novidade no conflituoso relacionamento entre Leão e Luxemburgo. Técnico campeão brasileiro em 2002, revelando um time novo no Santos, Leão nunca se deu bem com Vanderlei Luxemburgo, campeão em 2003 com um Cruzeiro que ele teve tempo para montar no ano anterior. Donos de egos inflados, são desafetos assumidos. Quando deixou o Santos, no início de maio, Leão disse que Luxemburgo, mesmo antes de sua demissão, havia se oferecido a Marcelo Teixeira, presidente do clube, para substituí-lo. Luxemburgo irritou-se muito. E deu sua versão para os fatos. "Foi o presidente que me procurou. Eu estava em Foz do Iguaçu passando férias e foi aí que começamos a negociar."Dia 10 deste mês, quando o Santos venceu o São Paulo por 1 a 0 na Vila, os dois treinadores não se cumprimentaram. Luxemburgo irritou-se quando lhe perguntaram o motivo. "Cada um cumprimenta quem quer e leva para casa quem quer. Eu faço o que tenho de fazer. É uma coisa pessoal, não tenho a obrigação de comentar", disse o técnico do Santos. Logo em seguida, abdicou da vontade expressa de não comentar o assunto. "Ele disse que eu peguei o lugar dele, que não tenho ética e que não fazia questão de ser é meu amigo. Por isso, não houve cumprimento. A reposta de Leão foi novamente irônica. "Não posso desmentir nenhuma dessas três afirmações."Quando voltou a falar das celebridades santistas, deixou claro que o Santos, futebolisticamente falando, ainda deve muito a ele. "Robinho é o melhor jogador do Brasil. E não é de agora." Só pode ser do tempo em que Leão estava na Vila, revelando Robinho, Diego, Elano e outros.Leão acredita na vitória, apesar da superioridade do elenco santista. "Esse jogo faz parte de uma série de três. Perdemos o primeiro, empatamos o segundo e podemos vencer o terceiro. Nosso pensamento e nossa intenção é essa." Seja qual for o resultado, não haverá apertos de mão dos treinadores. Antes, durante ou depois do clássico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.