Leão quer Palmeiras nota 8 em 2006

O título do Campeonato Brasileiro não está descartado. A vaga na Libertadores é um sonho muito próximo. Mas o técnico Emerson Leão já começa a projetar o Palmeiras ?nota 8? para 2006. O treinador não cita nomes, mas vários jogadores terão nos dez últimos jogos do Brasileiro a chance de continuar no Palestra Itália na próxima temporada. ?O desempenho de cada um vai decidir o futuro.? Leão admitiu que a diretoria vai atrás de reforços, mas não quer jogadores com ?nota menor que 8?. ?Este é o nível de reforço que quero para o ano que vem. Não me venham com jogador nota 5 ou 6.?O alvo inicial de Leão são os laterais Baiano, André Cunha e Fabiano. O treinador deu um ultimato a estes jogadores após o treino desta quarta na Academia de Futebol. ?Espero que eles estejam envergonhados depois da produção contra o Corinthians.? Baiano e André Cunha não jogaram o clássico. Correa foi o lateral-direito. Leão disse que domingo foram tentados 35 cruzamentos e apenas cinco puderam ser aproveitados.Para o jogo contra o Fortaleza, sábado, Correa volta para o meio-de-campo. Baiano será testado no coletivo desta quinta pela manhã e, se não decepcionar o treinador, volta à lateral-direita. Fabiano segue na esquerda. ?A princípio?, advertiu Leão, que também pode colocar três jogadores no ataque: Marcinho, que volta ao time, fará dupla com Gioino. Claudio, que teve boa participação contra o Corinthians, pode ser a novidade. Com isso, Marcinho seria recuado para o meio-de-campo e Diego Souza pode perder a vaga de titular. Na defesa, Gamarra pode ser deslocado para o lado direito no lugar de Daniel, que cumpre suspensão. Gláuber será seu parceiro.Marcos - Mais do que a violência, Marcos não suporta mais o descaso das autoridades para este problema que atinge diretamente o futebol brasileiro. ?Sei que não é simples. Mas não se toma atitude para se mudar nada. Não se busca soluções. Muita gente fala muito, mas não resolve?, disse o goleiro pentacampeão na Ásia em 2002. ?Daqui a dez anos vamos estar discutindo não a morte de três torcedores, mas de 15 ou 20.? E tem uma sugestão. ?É preciso parar de pensar em benefício próprio. Se for preciso, vamos ser radicais. Primeiro só entra uma torcida. Vamos colocar Palmeiras contra Corinthians no Palestra ou na Fazendinha. Se não der certo, faz clássico sem torcida.?

Agencia Estado,

19 de outubro de 2005 | 19h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.