Leão reclama por Santos estrear fora de casa

'É um absurdo isso. O Santos é o atual bicampeão paulista', diz, revoltado, o técnico santista

14 de janeiro de 2008 | 20h10

O Paulistão ainda nem começou, mas Emerson Leão já achou motivos para reclamar da Federação Paulista de Futebol. Para o técnico do Santos, seu time não poderia estrear fora de casa, como determinado na tabela. "É um absurdo isso. O Santos é o atual bicampeão paulista e, como tal, deveria estrear na sua casa, com uma festa diante da torcida e não na casa dos outros. Não dá para entender", reclamou o treinador depois do treino desta segunda-feira, no CT Rei Pelé. Nesta quarta-feira, o time enfrenta a Portuguesa, às 21h45, pela primeira rodada do Paulistão. O jogo será no Morumbi, já que o Canindé está interditado por tempo indeterminado pela FPF. "Fazer o quê? Já está marcado e vamos jogar lá", completou, resignado. Para o zagueiro Betão, que faz sua estréia na equipe na quarta, o torcedor precisará ter paciência com a equipe nos primeiro jogos. "Não dá para exigir que joguemos bonito nas duas primeiras rodadas. Estamos nos conhecendo ainda e vamos tentar compensar o desentrosamento com bastante determinação. Nosso fonte forte será a marcação", comentou o zagueiro. Leão ainda não definiu o time que entrará em campo. Nesta segunda, o meia Rodrigo Tabata ficou fora do treino pela segunda vez seguida devido a dores no tendão do joelho direito. Segundo os médicos do clube, no entanto, ele deve estar apto para a estréia no Paulistão. Caso não jogue, Leão deve escalar uma equipe com três atacantes, formação que agradou o treinador no coletivo de domingo, quando os titulares bateram os reservas por 4 a 0. Na ocasião, o time atuou no 4-3-3, com os garotos Wesley e Renatinho ao lado de Kléber Pereira no ataque. Para Leão, a partida será muito dura para o Santos, independente da formação tática. "É um clássico, como dizem as pessoas, e devemos respeitar a Portuguesa", disse o treinador. Quem está fora do jogo é Adailton. O zagueiro, que prorrogou seu vínculo com o Santos por mais uma temporada na semana passada, não poderá enfrentar a Portuguesa porque o novo contrato foi registrado depois da data-limite para um jogador estar habilitado a participar da primeira rodada. Assim, a dupla de zaga deve mesmo ser formada por Betão e Evaldo, que já atuaram juntos nas categorias de base do Corinthians. "Já conhecia o Evaldo, assim como o Fábio e o Kleber. Ficou legal o desempenho, mas espero melhorar ao longo dos jogos ", disse Betão. Adaílton ficaria à disposição apenas para o jogo contra o Palmeiras, domingo, na Vila Belmiro. Além dos três, Emerson Leão poderá contar, em breve, com outro zagueiro: Fabão, que, apesar de não ter assinado contrato, tem feito fisioterapia no CT Rei Pelé. Assim que se recuperar de uma lesão no tornozelo, o jogador, que tem a confiança do treinador, pode assinar.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCPaulista A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.