Leão telefona e Ricardo Gomes se acalma

O técnico da seleção brasileira sub-23, Ricardo Gomes, se acalmou depois que o treinador do Santos, Emerson Leão, lhe telefonou hoje à noite. Um dia depois de dizer que Leão foi um "oportunista barato" ao declarar para a Rádio Jovem Pan que havia ligado para o zagueiro Alex e sugerido que ele pedisse para mudar de posição com Edu Dracena, o treinador da seleção sub-23 parece ter ficado satisfeito com a ligação de Leão, às 19 horas do Chile (20 horas de Brasília), que entrou em contato via celular do meia santista Diego. Ricardo Gomes não quis entrar em detalhes sobre o teor da conversa. "O que nós conversamos vai ficar entre eu e ele. O assunto está encerrado, sem ressentimentos. Bola para a frente", disse o treinador. A intromissão de Leão havia tirado Ricardo Gomes do sério. Normalmente sossegado, o técnico da sub-23 ficou furioso na noite de domingo. Quando a seleção voltou para o hotel depois do empate por 1 a 1 com o Uruguai pelo Torneio Pré-Olímpico, ele ficou sabendo que Leão havia ligado para Alex e contado isso numa entrevista. Desabafou com cada jornalista que encontrou e estava muito nervoso. "Dou um caminhão para não entrar numa briga, mas dou 200 para não sair. Respeito quem me trata com respeito e nessa história não fui respeitado. O comentário do Leão foi desprezível", disse. "O Leão é tão cheio de defender a classe dos treinadores e aí vem e tem uma atitude como essa, de uma total falta de ética", comentou. "Reafirmo o que disse ontem: ele teve uma atitude oportunista e antiética. Não sei qual era a intenção dele", declarou o treinador. Além de condenar o telefonema e a entrevista do técnico santista, Ricardo Gomes discorda da observação feita por ele de que Alex renderia mais se marcasse pelo lado direito e não pelo esquerdo. "O Alex jogou ali nos cinco jogos da Copa Ouro, nos amistosos contra Corinthians e Santos e nos três jogos do Pré-Olímpico. São 10 partidas e ele sempre foi elogiado. Só agora é que isso virou problema?" Chefe da delegação no Chile e ex-companheiro de Leão na seleção que disputou a Copa do Mundo de 1986, Branco também condenou a atitude do treinador santista. "Acho que o Leão quis promoção e quanto mais se falar nisso, vai ser melhor para ele."

Agencia Estado,

12 de janeiro de 2004 | 21h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.