Leão tem desfalques no treino e reclama de médico no Santos

Dênis, Domingos e Wesley se reapresentaram com problemas e técnico não gosta da demora para examiná-los

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

03 de março de 2008 | 13h05

A derrota no último sábado (1 a 0 para o Sertãozinho) fez o ambiente no time do Santos voltar a ficar ruim. E, nesta segunda-feira, o técnico Emerson Leão só teve motivos para ficar ainda mais irritado. Dênis, Domingos e Wesley se reapresentam com problemas físicos e só agora foram sendo examinados pelos médicos. Resultado: críticas, direcionadas ao médico Fábio Novi, por não ter feito isso no domingo, quando estavam de folga.Veja também: Santos apresenta sua terceira camisa, de cor azul Ex-jogadores pedem reforços para que Santos evite vexame Santos é o melhor brasileiro no ranking da IFFHS Coleção de uniformes do Santos na temporada 2008 "O treino foi um misto de necessidade com observação. O Wesley apareceu com dor abdominal, mais no sábado saiu sem reclamar de nada, e teve uma recaída domingo, disse que é mesma de outra vez. Daí o Domingos chegou com uma preocupação na coxa, como estamos a menos de 24 horas para o jogo achamos melhor ser observado. O Dênis abandonou taticamente o último jogo, não conseguia nem caminhar, dizem que o médico de plantão deu dispensa para todos. O médico era o [Fábio] Novi, os atletas disseram que não precisavam tratar. Todos eles foram passar por uma ressonância só na segunda", discursou, na entrevista coletiva, sem esconder o incômodo. Novi não se pronunciou sobre o caso.No treino de 30 minutos, ele fez algumas observações e depois ficou esperando pelo resultado dos exames de ressonância magnética a que foram submetidos Domingos, Denis, Wesley e Fabão, o que só aconteceu no meio da tarde, quando o médico Carlos Braga informou que apenas Denis estava vetado.A preocupação com o desempenho e com a quantidade dos jogadores para a partida desta terça-feira, às 21h50, contra o Chivas, pela Copa Libertadores. "Estamos com muitos problemas, se restar só 11... Eu gostaria de estar em campo, para fazer jus à tradição do Santos. Penso agora que, às vezes, você pode ter sucesso com o sofrimento, pode ter certeza que vale mais, com transpiração, com dor, porque o suor do atleta isso é a lágrima do coração".DESCULPASSobre a derrota para o Sertãozinho, Leão foi curto e grosso no discurso. "O jogo passado não dá nem para comentar, abusamos da paciência de todo mundo, pedimos desculpas, mas não podemos tapar o sol com a peneira", completa, se referindo aos problemas. O goleiro Fábio Costa fez coro. "Estou com vergonha. Quando a gente pensa que o time vai ter uma boa seqüência, acontece uma derrota dessa. Já passou da hora de mudar de atitude aqui", diz o capitão.TIME INDEFINIDOPor causa dos problemas e das dúvidas, o técnico Emerson Leão só deve confirmar quem joga momentos antes da partida. O time titular que disputou o coletivo desta Segunda-feira no CT Rei Pelé foi: Fábio Costa; Adriano (improvisado na lateral-direita), Anderson Sales, Betão e Luiz Henrique (Carleto saiu por deficiência técnica); Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto, Molina e Quinones; Kleber Pereira e Sebastián Pinto.Sebastián Pinto está inscrito para a Libertadores, mas depende da chegada do termo de liberação da Associação Nacional de Futebol Profissional, do Chile, para ter o contrato registrado e ficar legalizado. Até a noite desta segunda-feira, o Universidad do Chile exigia US$ 250 mil (cerca de R$ 425 mil), sob a alegação de que é formadora do jogador, para autorizar a ANFP a mandar o documento.Além dos três citados acima, quem também está no departamento médico santista é o zagueiro Fabão, que sente dores na coluna.Atualizado às 21h02 para acréscimo de informações 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.