Leão tem nove jogadores para a Copa

O técnico Emerson Leão convocou pela primeira vez o lateral-esquerdo César, do São Caetano, para a seleção brasileira e deixou claro que já conta com pelo menos nove jogadores para o Mundial de 2002: o goleiro Rogério Ceni, os zagueiros Lúcio e Roque Júnior, o lateral Silvinho e os meias Vampeta, Juninho Paulista e Rivaldo foram relacionados pela terceira vez consecutiva pelo treinador - desta vez para enfrentar o Equador, dia 28, em Quito - e compõem a base da seleção, juntamente com o lateral Cafu, excluído da lista de hoje apenas por capricho de Leão. Bosco, goleiro do Sport e que também não foi lembrado na convocação, recebeu muitos elogios de Leão e tem, hoje, vaga garantida entre os três da posição para a Copa do Mundo do Japão e da Coréia do Sul. O treinador reiterou diversas vezes que manteria uma base até a competição e que as mudanças afetariam somente 30% do grupo. Curioso é que ele ignorou mais uma vez todo o ataque convocado para a sua partida de estréia na seleção, contra a Colômbia, em novembro. França, Marques, Edmundo e Adriano continuaram de fora para dar lugar a Romário, Euller, Luizão e Ronaldinho. Além de Cafu, o lateral Roberto Carlos, outro vice-campeão mundial, não foi relacionado para o jogo com o Equador, válido pelas eliminatórias do Mundial de 2002. O primeiro continua bem cotado e sua exclusão deveu-se a uma idéia do treinador de tentar encontrar um reserva a altura para a lateral-direita. Já Roberto Carlos não figurou na lista por não ter agradado a Leão na partida contra o México. O lateral Beletti, do São Paulo, voltou à seleção e pode ser titular no Equador: vai disputar a posição com Anderson, do Grêmio. O goleiro Veloso, do Atlético Mineiro, também ganhou oportunidade, assim como Juninho Pernambucano e Ronaldinho, em litígio com seus clubes e que brigam na Justiça por causas próprias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.