Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Leão tenta minimizar ausência de Alex

Apesar de afirmar que precisou montar um "time de urgência", o técnico Emerson Leão demonstrou estar tranqüilo para a estréia no comando do Cruzeiro, neste domingo, contra o São Paulo, e procurou minimizar a ausência de Alex, que está na seleção e deixará o clube no final do próximo mês, quando termina o seu contrato. "Eu não posso ficar louco com aquilo que eu não vou ter", explicou. Nos primeiros trabalhos que comandou no Cruzeiro, ele foi logo dando mostras de seu estilo. Exigente e disciplinador, obrigou os jogadores a chegarem mais cedo para os treinos e surpreendeu com críticas ao gramado do campo da Toca da Raposa II. Leão também reclamou do barulho dos aviões que a todo momento sobrevoam o CT do Cruzeiro, que fica na rota de pouso das aeronaves que descem no aeroporto da Pampulha. O treinador, porém, explicou depois que o incômodo é fruto do medo que tem de avião.Agência Estado - O São Paulo virá com equipe mista, sem vários titulares. Isso interfere alguma coisa no Cruzeiro?Leão - No Cruzeiro não, mas na qualidade (da equipe paulista) interfere. É uma opção do São Paulo e nós temos de estar observando, nada mais do que isso.AE - Como você está vivendo a expectativa de dirigir o Cruzeiro pela primeira vez no Mineirão, diante da torcida?Leão - Na verdade, não é uma expectativa e sim uma realidade. Quando você entra e já está acostumado, com vários anos de carreira dentro de um padrão, você não vive uma expectativa. Você vive uma certeza de que está dirigindo uma grande equipe.AE - Qual será a postura do Cruzeiro, um time bastante ofensivo?Leão - Eu espero igual ao que nós estamos treinando e estamos ensaiando. Nem tudo acontece de forma perfeita durante a execução, senão seria uma maravilha. Mas nós temos de fazer prevalecer uma força, uma confiança e principalmente sabendo que nós estamos correndo atrás de alguém e esse alguém é o líder.AE - Como suprir a ausência de Alex?Leão - Eu não posso ficar louco com aquilo que eu não vou ter, entendeu? Eu tenho de preocupar com aquilo que eu tenho. O Alex não pôde vir, fizemos ainda uma última consulta para ver se seriamdispensados - ele e o Cris - para o jogo. Já que dispensaram três atletas para o Milan, porque não dispensam para a gente? Mas foi negado.AE - Mas as ausências de importantes jogadores não diminuem a força das duas equipes?Leão - Modifica, tanto do São Paulo como a do Cruzeiro, mas diminuir... Você não pode depender de uma estrela não.AE - Na sua apresentação, você ressaltou que está assumindo uma equipe já montada, no meio de uma temporada, o que impede alterações imediatas. Até que ponto você acha que isso vai influenciar no seu trabalho e na filosofia que pretende implantar?Leão - Não estou preocupado só com aquilo que eu quero. Às vezes aquilo que eu quero pode até não ser possível pela característica (do grupo de jogadores). Eu acho que é aquilo que precisamos. Nós estamos fazendo aí um time de urgência, num jogo importantíssimo. Então, a minha maneira foi voltada para essa única competição, nesse único jogo, nessa semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.