Leão testa Elano na lateral como prevenção

O técnico Leão surpreendeu no treino desta quinta-feira à tarde, escalando Elano na lateral-direita. Com essa improvisação, ele aproveitou para formar o ataque com três jogadores: Robinho, Basílio e Robgol. Mas essa não deverá ser a formação do Santos para o jogo de sábado contra a União Barbarense, na Vila Belmiro. "O Elano treinou na lateral porque estamos só com um jogador na posição e, por isso, era preciso treiná-lo naquela função para uma emergência", disse o treinador. "Ele sabe fazer esse trabalho na lateral, mas às vezes é preciso lembrá-lo".Mas Leão já espera outro jogo retrancado na Vila Belmiro, tendência de todos os times que estão disputando suas partidas na casa santista. Tanto que no treino desta quinta-feira à tarde ele armou o time reserva com três zagueiros. "Nós estamos criando dificuldades porque a concentração de atletas na defesa é muito grande quando o adversário joga na Vila. Temos, portanto, de treinar assim para nos acostumarmos a esse tipo de comportamento".Outra razão para Leão esperar um adversário jogando fechado é que a Barbarense tem a segunda melhor defesa do campeonato e o pior ataque. "Acreditamos que a intenção do adversário deve ser a melhor possível me termos de fechamento; se a Barbarense tem sua defesa como ponto forte, é mais um indício de que teremos dificuldade de superá-lo".Os jogadores não estranharam o treino desta quinta-feira, com um time ainda mais ofensivo do que o de costume. Claiton, que teve de ficar mais fixo na marcação no meio-de-campo, também espera mais um adversário jogando retrancado. "Jogamos para vencer, mas temos que tomar o cuidado necessário na defesa para não abrir espaço para os contra-ataques", revelou.Robinho, que treinou junto com Basílio e Robgol, concorda: "nossa equipe é muito ofensiva, mas temos de dar a cobertura necessária para não deixar a defesa desguarnecida". Segundo o atacante, "o professor Leão treinou várias alternativas para que não sejamos surpreendidos nessa partida".Reencontro - Robinho vai se reencontrar com Sérgio Farias, técnico da União Barbarense e que foi seu treinador no juniores do Santos. Naquela época, o atacante era reserva e nesta quinta-feira disse que nada tinha contra ele, "apesar de ter ficado no banco". Se tivesse dependido da vontade de Farias, porém, o jogador estaria longe da Vila Belmiro: ele não tinha carcaça, alegava o técnico. "Isso já passou e não tenho nada a provar para ninguém", comentou Robinho. "Sei que é com humildade que vou conseguir as coisas e, apesar de ele não ter me aproveitado aqui no Santos, vieram outros técnicos que me deram a chance e estou jogando bem até hoje".O atacante pensa que foi preterido por Sérgio Farias por ser franzino. "Pode ser. Ele não gostava de meu futebol e cada treinador tem sua filosofia de trabalho". E concluiu, cutucando o técnico: "ele também não gostava do Alex...". Os dois estiveram na lista de corte do Santos e hoje são do grupo de elite do clube.Mas Robinho estava mesmo interessado é no Lauren Sportsman of the Year, espécie de Oscar dos esportes. Ele foi indicado esta semana para concorrer na categoria de revelação do ano e nesta quinta-feira comentou pela primeira vez a indicação. "Estou na expectativa e, se Deus quiser, vou ganhar esse Oscar". Ele considera que "só o fato de estar sendo lembrado já é uma coisa muito boa", mas emendou: "claro que a gente sempre espera vencer e se ganhar esse prêmio vai ser importante não só para mim como para o Brasil também".

Agencia Estado,

18 de março de 2004 | 19h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.