Leão x Diego: Santos não aceita prejuízo

O conflito entre Leão e Diego, que provavelmente será negado pelos dois na reapresentação nesta quarta-feira, movimentou a Vila Belmiro nesses três dias de folga, principalmente depois das declarações de Djair Cunha, pai e procurador do meia, informando que o atleta irá cumprir seu contrato com o Santos até o fim, em julho do ano que vem. Quando isso acontecer, o clube não terá qualquer participação na transação.A diretoria procurou relevar a informação e vai dar um tempo para ?esfriar? a crise aberta com as seguidas substituições de Diego durante as partidas. O diretor de Futebol, Francisco Lopes, comentou que o relacionamento entre o clube e Djair Cunha é muito bom e que "as coisas irão se ajeitar normalmente". Mas fez uma advertência: "O Santos paga o salários dos dois e não pode ter prejuízo". O dirigente entende a posição de Djair Cunha: "ele está cuidando dos interesses de seu filho e sua reação mais emotiva é normal".Amanhã haverá a reapresentação e Diego prometeu conversar com os jornalistas para esclarecer todas as questões. Mas já adiantou que não discutiu com Leão. Como das outras vezes, ele irá procurar contornar a situação até porque vai continuar no clube pelo menos até o fim da Libertadores. Mas as declarações de seu pai mostraram a crise que já era latente.Leão tem exigido do atleta que se posicione mais à frente, com o que o Diego tem fugido de suas características de armador, tarefa que Renato vem fazendo. Com isso, aumentou a pressão por gols, coisa que o jogador não concorda por ser armador.Esse era um dos assuntos mais comentados hoje e há uma corrente da diretoria que culpa Leão pela queda de rendimento de Diego nesta temporada. Para complicar, a crise estourou no jogo contra o São Caetano, em que o time foi goleado e desclassificado do Paulista. Essa partida matou a chance de o Santos sair da fila de 20 anos sem conquistar o campeonato estadual, um dos maiores objetivos do presidente Marcelo Teixeira.No meio dessa crise, o Santos ficou sob a ameaça de não haver entendimento com o pai de Diego para uma transação do atleta para o exterior, com grande prejuízo para o clube, que não aceitou ano passado proposta de US$ 12 milhões do Tottenhann, na esperança de uma valorização ainda maior. Com o fracasso da seleção pré-olímpica, com as seguidas substituições e com a queda de rendimento do meia, essa expectativa pode ser frustrada.Libertadores - Fora do Paulista, resta ao Santos a conquista da Libertadores da América nesse semestre e a ameaça de nova frustração pode causar o afastamento do técnico Leão, que está há dois anos dirigindo o time e que sofre de um desgaste normal num período tão longo à frente de uma equipe. Ele conquistou o Brasileiro de 2002 e levou o time a vários títulos de vice-campeão, mas o presidente Marcelo Teixeira quer mais. Não esconde que seu objetivo é a terceira estrela de campeão mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.