Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Leco deve convidar ex-membros da gestão de Juvenal para a diretoria

Presidente do São Paulo articula aliança com desafetos de Aidar

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

14 de outubro de 2015 | 17h41

A gestão temporária de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, como presidente do São Paulo deve promover  o retorno ao clube de antigos desafetos do antecessor, Carlos Miguel Aidar. A diretoria para o mandato tampão, de 30 dias, deverá ter membros que trabalharam sob o comando do presidente Juvenal Juvêncio, entre 2006 e 2014.

A primeira decisão de Leco no cargo, horas depois da renúncia de Aidar, foi de recolocar na cúpula o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro, pivô do início da crise política. Junto com ele, o diretor de futebol, Rubens Moreno, e mais dois adjuntos do mesmo departamento também voltaram.

Leco já conversou com antigos diretores e também deve convidar  Gustavo de Oliveira, filho de Sócrates e ex-gerente de futebol. O dirigente chegou ao clube contratado por Juvêncio, em 2013, e foi demitido em maio deste ano por Aidar, que disse não  confiar nele.

A saída do ex-presidente reaproximou da cúpula apoiadores fiéis a Juvêncio, que rompeu com Aidar em setembro do ano passado, além de unificar alguns grupos da oposição e facilitar o retorno de desafetos do antigo mandatário.

Juvêncio não deve participar do processo. Segundo pessoas próximas, o ex-presidente está afastado do clube para cuidar de problemas de saúde.

Outro nome forte que deve recuperar a ligação com o São Paulo é o empresário Abílio Diniz. Torcedor fanático do clube e membro do Conselho Consultivo, ele tem frequentado reuniões do Conselho Deliberativo para opinar sobre a situação financeira do clube e na última delas, mês passado, fez duros ataques à gestão.

Semanas antes desse encontro, o empresário tinha se desentendido com Aidar quando o então presidente demitiu o diretor executivo Alexandre Bourgeois, nome indicado por Diniz.

O empresário publicou um texto ontem em seu blog para dizer que apoiava a renúncia e expressar o desejo de voltar a contribuir com o clube. O intuito dele  é pagar uma auditoria externa para analisar as contas do São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.