Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Leco promete esforço para ter time à altura do São Paulo em 2017

Nilmar, Wellington Nem e Felipe Melo interessam ao clube

Marcius Azevedo, Estadão Conteúdo

27 de outubro de 2016 | 20h22

O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, aproveitou o aniversário de um ano de sua entrada no cargo para divulgar números de sua gestão e apontar para o futuro. Com o aspecto financeiro controlado, o dirigente confirmou que pretende contratar reforços para que o clube possa brigar por títulos em 2017.

"Vamos reunir os recursos para reforçar o elenco. Sei que o financeiro vai reclamar, mas o São Paulo terá um grande time, à altura do clube e do desejo da torcida", afirmou Leco.

O diretor de futebol José Jacobson Neto afirma que o clube não fará loucuras, muito menos sair comprando sem critério, apenas para dar uma resposta à torcida. "Apostamos muito neste elenco atual, nos garotos da base. Vamos contratar jogadores certos nas posições certas", prometeu. A diretoria não comenta nomes, mas Nilmar, Wellington Nem e Felipe Melo estão entre os jogadores que interessam ao São Paulo para 2017.

No balanço da gestão após um ano, o clube divulgou que houve uma redução de 28% no valor da dívida total, que foi de R$ 170 milhões em dezembro de 2015 para R$ 124 milhões em setembro de 2016. Nesta conta desconta-se o débito tributário, de R$ 77 milhões, já equacionado no Profut.

A negociação do alongamento das dívidas para três ou cinco anos, principalmente as bancárias, foi fundamental para o resultado positivo da gestão. O trabalho do departamento de marketing, que conseguiu R$ 33 milhões apenas com o patrocínio de camisa, também foi destacado no balanço de um ano.

Leco também fez questão de enaltecer a transparência da nova gestão, destacando a reformulação estatutária. O São Paulo terá um novo estatuto em breve, que contou com participação dos associados com sugestões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.