Mauricio Dueñas Castañeda/EFE
Mauricio Dueñas Castañeda/EFE

Leco revela despedida de Calleri no vestiário do São Paulo

Atacante deve atuar no futebol europeu nos próximos meses

Ciro Campos - enviado especial a Medellín, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2016 | 07h25

O artiheiro da Copa Libertadores com nove gols não deve mais jogar pelo São Paulo. O atacante argentino Jonathan Calleri fez provavelmente o seu último jogo pela equipe na quarta-feira, na derrota por 2 a 1 para o Atlético Nacional, em Medellín e já fez até um ritual de despedida. O presidente do clube do Morumbi, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, contou que o jogador guardou a camisa usada na eliminação.

"Ele, humildemente, me abraçou no vestiário e me pediu se poderia levar a camisa dele. É claro que eu dei, e ele ficou muito sensibilizado com isso", comentou o dirigente. Leco, ao ser perguntado se o atacante deve atuar no domingo, no clássico com o Corinthians, disse achar improvável e confirmou que o jogo no Colômbia foi um provável adeus. "É bem possível que sim. Infelizmente."

Calleri foi contratado no começo do ano por um grupo de empresários. Apos sair do Boca Juniors, foi registrado no Deportivo Maldonado, do Uruguai, que o emprestou ao São Paulo. O contrato vale até o fim do mês, quando o argentino deve acertar a transferência para algum clube europeu após 31 jogos e 16 gols pelo time do Morumbi.

A possível despedida de Calleri foi antecipada pela convocação dele para a seleção argentina olímpica. O jogador entrou na lista dos 18 escolhidos do técnico Julio Olarticoechea depois do Atlético de Madrid vetar a ida de Lucas Vietto. O são-paulino terá que se apresentar nos próximos dias em Buenos Aires para o período de preparação, que inclui ainda uma viagem para amistosos nos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.