Adrian Dennis/AFP
Adrian Dennis/AFP

Leicester apronta mais uma, e faz 3 a 1 fora de casa no Manchester City

Com resultado, clube abriu seis pontos de vantagem na liderança

Estadão Conteúdo

06 Fevereiro 2016 | 12h59

O Leicester voltou a surpreender neste sábado. O improvável líder do Campeonato Inglês, dono de elenco sem famosos e folha salarial modesta, impôs contundente derrota ao estrelado Manchester City na abertura da rodada. Jogando na casa do rival, no Etihad Stadium, o pequeno Leicester venceu por 3 a 1 e abriu nada menos que seis pontos de vantagem na ponta da tabela.

O primeiro colocado soma agora 53 pontos, contra 47 do próprio City, ainda na vice-liderança. O time de Manchester, contudo, pode perder a posição caso Arsenal ou Tottenham vençam nesta rodada. Ambos têm 45 pontos. O Tottenham joga ainda neste sábado, enquanto o outro time londrino entra em campo no domingo.

Sob leve chuva em Manchester, o Leicester impôs pressão ao City desde o apito inicial. Tanto que abriu o placar logo aos 2 minutos. Em cobrança de falta na área, o zagueiro Robert Huth se antecipou à marcação e completou para as redes, na pequena área.

O gol surpreendeu a torcida e o time do City. Mas não o próprio Leicester, que parecia insatisfeito com a vantagem no placar e se manteve no ataque. Foram duas boas chances de marcar o segundo gol antes de completar 10 minutos de jogo.

O time da casa tentou reagir aos 23, quando o árbitro marcou falta fora da área em lance duvidoso. Os jogadores do City pediram pênalti. Foi a melhor oportunidade dos anfitriões na primeira etapa.

Do outro lado do campo, o Leicester seguia impetuoso no ataque. E aumentou a vantagem aos 2 minutos do segundo tempo. Mahrez disparou na intermediária, deixou dois marcadores para trás e marcou um lindo gol. O terceiro veio aos 14 minutos, em novo gol do zagueiro Huth. Ele marcou de cabeça ao completar cobrança de escanteio na área.

Nos minutos finais, o City descontou. Após cruzamento na área, Agüero surgiu à frente da zaga para cabecear para as redes, aos 42 minutos da etapa final. Tarde demais para iniciar uma difícil reação dos anfitriões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.