Léo avisa que não joga mais no Santos

Léo garantiu nesta quinta-feira que não joga mais no Santos, apesar de o seu contrato acabar apenas no dia 31 de dezembro. O lateral-esquerdo disse, ainda na Alemanha, que se sentiu desrespeitado pelo clube paulista, que exigiu a sua imediata apresentação ao técnico Gallo para jogar contra o Juventude, domingo, na Vila Belmiro. Indignado com a atitude dos dirigentes santistas, Léo ameaça até assinar um pré-contrato, nesta sexta-feira mesmo, com um grupo de empresários portugueses e se desligar do Santos. O lateral revelou que o Santos estava disposto a fazer uma operação de resgate para levá-lo, junto com Robinho, embora ainda na quarta-feira para o Brasil, em plena festa da seleção pela conquista da Copa das Confederações. "Tiveram a coragem de propor isso para gente. Acabamos de ganhar um título com a seleção. Eles não deram o menor valor. Queriam antecipar a nossa volta", contou Léo."Quero uma folga até terça-feira, no máximo. Eles nem me consultaram sobre essa possibilidade. Vou embora, o Santos não dá mais. Se me perturbarem, assino amanhã um pré-contrato com um grupo de empresários portugueses e deixo o Santos", avisou o jogador. De acordo com Léo, o seu contrato acaba no final do ano e, a partir desta sexta-feira, ele já poderia fechar um pré-contrato como a lei faculta - seis meses antes do encerramento do compromisso, o atleta pode se comprometer com outro clube. "Assino, pago a multa e adeus Santos. Uma coisa é certa: não fico mais no clube. Antes de agosto, quero definir a minha vida. Gostaria que a transação fosse de clube para clube. Se não for possível, fecho com este grupo de empresários", prometeu. O lateral insistiu em afirmar que faltou respeito por parte do Santos. "Estou na seleção há mais de 20 dias, longe dos familiares, e eles (dirigentes do Santos) me ligaram pedindo para me apresentar amanhã à tarde ao treinador, concentrar no sábado e jogar no domingo. Isto é um absurdo. E o respeito ao atleta?", desabafou o lateral-esquerdo, um dia após a conquista da Copa das Confederações na Alemanha. O desabafo aconteceu no saguão do Hotel Intercontinental de Frankfurt, nesta quinta-feira, antes dele pegar o avião de volta para o Brasil. O salão estava lotado de jornalistas, torcedores, dirigentes, torcedores, agentes e empresários de jogadores. Léo falou para quem quisesse ouvir: "No Santos não fico mais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.