Washington Alves/ Lightpress
Washington Alves/ Lightpress

Léo celebra aumento da concorrência na zaga do Cruzeiro

Técnico Mano Menezes também poderá contar com os recém-contratados Luis Caicedo e Dedé

Estadão Conteúdo

30 de dezembro de 2016 | 14h42

No Cruzeiro desde 2010, o zagueiro Léo é um dos jogadores do atual elenco mais identificados com o clube, a ponto de já ter disputado mais de 200 partidas nesse período. Em 2017, ele tentará ampliar esses números, mas reconhece que o desafio não será fácil. Afinal, além de nomes como o dele e o de Manoel, o técnico Mano Menezes poderá ter à disposição o recém-contratado Luis Caicedo, além de Dedé, que está recuperado de lesão que o afastou dos gramados por longo período. Léo, porém, não teme a concorrência e acredita que a disputa será benéfica para o time.

"A questão da competitividade é muito boa. Isso é bom para o Cruzeiro, são jogadores bons que estão chegando ao Clube e isso aumenta o nível do grupo. Competitividade é sempre bom que exista mesmo, nesses últimos anos temos enfrentado isso e isso aumenta o nível de cada atleta. É necessário ter um grupo forte com muitas opções, até porque as competições são longas, sempre irá precisar. Um grupo vencedor não é só feito com 11 jogadores, ele precisa de todo um elenco, um grupo. Tudo isso será em prol do Cruzeiro, para buscarmos nossas conquistas e títulos", disse o camisa 3 ao site oficial do clube mineiro.

Com tanto tempo no time, Léo terá, em 2017, a experiência de ter como chefe um antigo companheiro de elenco. Seu colega na conquista dos títulos do Campeonato Brasileiro em 2013 e 2014, Tinga é o novo gerente de futebol do Cruzeiro. E o zagueiro aposta no sucesso do ex-jogador da função, destacando o seu espírito de liderança.

"Pude conviver com o Tinga por três anos, no seu término de carreira. Foi um jogador que dispensa comentários, como pessoa, como caráter, uma pessoa integra, correta que nesses últimos anos de carreira exerceu uma liderança dentro do grupo vencedor, bicampeão brasileiro. Uma pessoa bem articulada, tem seus pensamentos de acordo com a vivência no futebol. Pôde exercer sua liderança na prática, articulando entre atletas, comissão e direção, e sempre foi muito bem relacionado. Essa nova função será tranquila para ele. Acredito que vai dar muito certo. Será uma peça importante no grupo para 2017", comentou Léo.

Tudo o que sabemos sobre:
CruzeiroLeoCampeonato Brasileiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.