Léo declara todo seu amor ao Santos

Do atual elenco do Santos, Léo é o jogador que mais disputou partidas pelo time da Vila: 258 (com 18 gols). Mais do que isso, é o atleta com maior identificação com o Peixe. Em entrevista concedida à Agência Estado, ele fez juras ao clube: só não trocou o Santos pelo rival Corinthians por... "amor".Agência Estado - Com a saída do Elano, só ficaram você e o Robinho do time campeão brasileiro de 2002...Léo - (Interrompendo) E isso representa muito pra mim. Aqueles tempos foram especiais e nunca mais voltarão. Ter feito parte daquele time com Fábio Costa, Maurinho, Alex, Paulo Almeida... é motivo de orgulho para mim. Foi um time que encantou o Brasil, que não se acovardava e jogava bonito. É um time que ficará na minha cabeça também pelas amizades feitas. Éramos uma família. Até hoje, a gente mantém contato, com o Alex, o Diego... a amizade continua.AE - E como nasceu essa "família"?Léo - Basicamente, pela convivência. Era uma família na qual não tinha tempo ruim. Nada nos afetava. A gente ia na vontade, na empolgação, na amizade, e o Leão conduzia tudo muito bem. Naquela época, não havia estrela no elenco. AE - Todos estavam começando do nada. Isso contribuiu para este clima "familiar"?Léo - Acho que sim. Infelizmente, o time acabou se desmontando. Mas isso é normal no futebol. Foi a valorização individual de cada um.AE - Aquele time era mais forte que o deste ano?Léo - São grupos diferentes, assim como era diferente o de 2004. O Santos conseguiu, em três anos, fazer três grupos diferentes, mas vencedores da mesma maneira.AE - Qual o motivo da regularidade?Léo - O conjunto. É engraçado até, mas sai jogador, entra jogador, e o Santos continua com um conjunto muito forte. E todos aqui se entendem muito bem.AE - Mas sem Elano, Robinho e Léo, o que acontece com esse Santos?Léo - Vai ser uma nova fase. Quando o Leão recolocou o Santos no caminho das vitórias com os garotos, o clube readquiriu o respeito que estava abalado. A paixão do torcedor ressurgiu. O orgulho de vestir a camisa renasceu. Hoje, qual o jogador que não quer atuar no Santos?Depois do Robinho, talvez você seja o maior ídolo da torcida...Sei disso e fico muito feliz. O carinho do torcedor é algo extraordinário. Isso me dá muita força.AE - Isso contou na hora de renovar e não ir para o Corinthians?Léo - Contou. A proposta da MSI era bem maior. Não tem nem comparação! O que poderia ganhar lá é muito mais do que posso ganhar aqui. Mas sou feliz, tenho grandes amigos aqui. Nada melhor que trabalhar no lugar que a gente gosta.AE - O que é o Santos para você?Léo - Amor. O Santos me tirou do nada, me tirou de um túnel escuro. Saí por baixo do Palmeiras e o Santos acreditou em mim. Amo este clube. É muito amor o que sinto.AE - Mas, um dia, você ainda pode jogar no Corinthians?Léo - Não sei, não sei...AE - Consegue se imaginar com a camisa do maior rival do Santos?Léo - O Corinthians é paixão também, né? Então... não sei, não sei... sou profissional acima de tudo. Nunca posso descartar nada.AE - Como você acha que seria a reação da torcida santista?Léo - É a minha profissão, tenho que ver meu lado. Mas o carinho e o respeito ficarão para sempre.AE - E pensa em ir para o Exterior?Léo - Ainda penso, lógico! E está vindo algo por aí... AE - Mas é algo forte, para jogar num campeonato tradicional ou para ir parar num país de pouca expressão?Léo - É uma coisa muito boa, um campeonato bom. Só posso dizer isso.

Agencia Estado,

07 de fevereiro de 2005 | 12h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.