Léo despreza vantagem e pede Santos ofensivo na Vila

O lateral-esquerdo Léo minimizou o regulamento nesta sexta-feira e pediu um Santos ofensivo no segundo jogo da semifinal do Paulistão, contra o São Paulo, no domingo. Para o jogador, o time deve manter o seu estilo de jogo e ignorar a vantagem de poder perder por 1 a 0 na Vila Belmiro.

SANCHES FILHO, Agência Estado

16 de abril de 2010 | 19h06

"A melhor maneira para confirmamos a classificação é não procurar administrar o jogo. Temos que ignorar o regulamento e não fugir do que fazemos sempre, atacar durante os 90 minutos e respeitar o adversário", aconselhou o veterano Léo, que participou do primeiro gol do Santos na vitória por 3 a 2 no Morumbi.

O meia Marquinhos também recomenda que o time não mude a sua maneira de jogar, ficando mais atrás para defender a vantagem de poder empatar ou perder até por um gol de diferença.

"Como Dorival Júnior tem falado, a vantagem só poderá ser importante nos minutos finais do segundo tempo do segundo jogo. Não adianta falar que podemos jogar pelo empate e até perder porque não há como mudar a maneira de o time jogar. O Santos ataca sempre, independente de estar ganhando de cinco ou seis ou se a partida estiver 0 a 0", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantosLéoMarquinhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.