Léo luta ainda contra dores no joelho

Léo se queixa constantemente de dores na parte posterior do joelho, mas está sempre pronto para entrar em campo, principalmente nessa fase atual do time, que não pode perder mais pontos. E o lateral não é exceção no time santista, que está sempre com um número grande de jogadores com algum tipo de problema. Ele e Tcheco, também contundido, viajaram hoje, e devem jogar domingo contra a União Barbarense, na Vila Belmiro. O zagueiro Antônio Carlos se integra ao time amanhã em Extrema, enquanto Zé Elias, Paulo César e Fabinho permanecerão em tratamento em Santos. Os quatro últimos não têm chance para a próxima partida. "Não estou tendo o apoio necessário em minha perna direita para fazer certos tipos de jogada e algumas arrancadas que fazia agora ficaram complicadas", disse o lateral-esquerdo, revelando que faz um trabalho forte de fisioterapia para "que essa dor suma o mais rápido para que possa atuar 100%". Sobre a situação do time no campeonato, Léo acha que é preciso ter o pé no chão e lembra da campanha do ano passado no Brasileiro. "Conquistamos um título importante no ano passado e todo mundo se ajudou e agora não pode ser diferente". Esse exemplo está sempre presente no pensamento do jogador: "ficamos o Brasileiro todinho atrás, com cinco pontos de diferença também e conseguimos reverter no final. Temos de acreditar sempre e esse grupo está acreditando". O lateral acha importante o trabalho que será realizado em Extrema: "temos uma semana para trabalhar, estamos largando família, largando tudo e estamos conscientes. Se houver alguma dor, temos de procurar tratar para que a partir da semana que vem as coisas possam mudar".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.