Lucas Uebel / Grêmio FBPA
Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Léo Moura elege título brasileiro como meta para 'coroar' passagem pelo Grêmio

Lateral de 40 anos sonha com conquista que obteve em 2009 pelo Flamengo

Redação, Estadão Conteúdo

11 Janeiro 2019 | 19h26

Aos 40 anos, Leonardo Moura é uma das apostas do Grêmio para mais uma temporada vitoriosa em 2019. Campeão da Libertadores com a equipe em 2017, o jogador sabe da importância de outra boa campanha no torneio continental, mas elegeu o Campeonato Brasileiro como seu grande sonho neste novo ano.

"Acho que para coroar minha passagem aqui, um título brasileiro seria a realização de um sonho. Tive a chance de conquistar um em 2009. Quem sabe agora, dez anos depois, a gente possa vencer de novo o Brasileirão, que é um campeonato muito difícil, mas a gente vai tentar buscar", declarou nesta sexta-feira.

Léo Moura conquistou a competição nacional pelo Flamengo há 10 anos. O jejum do Grêmio no campeonato é ainda e já dura desde 1996. Por isso, o lateral considerou o Brasileirão tão importante para o clube. E para conquistá-lo, ele aposta na base vitoriosa mantida no elenco.

"A base continua, e isso é muito importante. É normal chegarem jogadores, outros saem, mas o importante é que o Grêmio se mantém forte. As contratações são para fortalecer um grupo vencedor, e quem chega sente a atmosfera de um grupo amigo, parceiro. Espero que seja um ano positivo, que comece com títulos. É esse nosso objetivo", apontou.

Outro fator apontado por Léo Moura como preponderante para um ano de sucesso é a pré-temporada. Por isso, mesmo tão veterano, o jogador minimizou o intenso trabalho físico realizado em Porto Alegre e considerou que é preciso "sofrer" neste momento do ano, visando objetivos maiores no futuro.

"Nesse período, temos que sofrer mesmo. Porque é isso que vai dar um suporte, um lastro para o decorrer do ano. Se a gente se preparar bem na pré-temporada, a chance de chegar e fazer um bom campeonato é muito grande", afirmou.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Léo MouraGrêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.