Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Léo Santos destaca força do Corinthians: 'Somos o único paulista com título'

Zagueiro diz que amadureceu após falha na final da Copa do Brasil e vê time alvinegro no mesmo nível dos rivais de São Paulo

João Prata, O Estado de S.Paulo

06 Novembro 2018 | 16h36

O zagueiro Léo Santos concedeu nesta terça-feira entrevista antes do treino do Corinthians. Titular absoluto da zaga desde a chegada de Jair Ventura, o jogador de 19 anos disse que amadureceu após a falha na final da Copa do Brasil e agora vê o time alvinegro no mesmo nível do São Paulo, adversário de sábado, na Arena, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

"Não acho que nosso elenco é inferior ao do São Paulo, independente da posição em que o São Paulo esteja, temos jogadores de qualidade e temos condição de passar por esse momento. Somos o único time paulista que tem um título neste ano. O Palmeiras está próximo, mas São Paulo e Santos não ganharam títulos neste ano", opinou.

Sobre o vacilo na Copa do Brasil, Léo Santos disse que o ajudou a amadurecer. "Foi uma experiência ruim no momento, queria ser campeão, mas foi bom para aprender. Estava muito confiante e isso me atrapalhou. Me senti muito confiante de dominar a bola e sair jogando, mas a gente aprende com os erros, vou tomar mais cuidado, essa autoconfiança é boa, mas pode me atrapalhar como naquele lance", disse. 

O lance em questão foi no segundo jogo da final da Copa do Brasil, na Arena Corinthians. O zagueiro tentou dominar uma bola na lateral direita, foi desarmado por Rafinha, que iniciou a jogada para o primeiro gol do Cruzeiro, marcado por Robinho. 

"Com o passar do tempo e dos jogos vou aprendendo. Essa questão de jogar mais simples, sempre me orientaram, mas é uma coisa de mim, da maneira que eu jogo, não vou mudar a maneira que eu jogo e que me trouxe ao profissional por causa de um erro. Não vou forçar para não me expor, mas não vou mudar a maneira como eu jogo na minha carreira", afirmou o zagueiro.

Léo Santos destacou o apoio recebido por Jair Ventura, que o manteve na equipe nos jogos seguintes. "Acho que o Jair tem me dado bastante confiança, sempre conversa e dá toques da maneira como devo me comportar em campo. Foi fundamental após a Copa do Brasil, tive um erro, fiquei chateado e ele me ajudou bastante, me deu confiança para eu seguir jogando do jeito que eu jogo."

O zagueiro fez a primeira partida no profissional do Corinthians no fim de 2016. No ano seguinte, teve mais três oportunidades. Ele se firmou mesmo na atual temporada. No total, já entrou em campo em 31 oportunidades. Foi titular em todos os jogos que Jair Ventura comandou o time.

No último domingo, na derrota para o Botafogo por 1 a 0, ele teve a bola do jogo para empatar a partida. Finalizou na pequena área e Gatito Fernández fez um milagre. 

"Fiquei meio que inconformado de como aquela bola não entrou, mas foi uma bela defesa do Gatito, que foi feliz no lance. Fiz o que tinha que fazer, acreditei que a bola ia passar, deixei o pé para finalizar. Queria ajudar, o ponto ia ser útil", disse.

Poderia ter sido o segundo gol de Léo Santos com a camisa do Corinthians. O primeiro foi no empate por 1 a 1 com a Ponte Preta, no Campeonato Paulista do ano passado. Quem sabe não sai outro agora no clássico no sábado. "Vai ser um jogo que envolve duas camisas pesadas. O São Paulo vem buscando a vitória para melhorar sua situação, nós também. Clássico não tem favorito, vai ser um jogo muito grande", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.