Yuri Edmundo/Efe
Yuri Edmundo/Efe

Léo Silva define má fase do Atlético-MG como 'tempestadezinha'

Zagueiro minimiza eliminação na Copa Libertadores e diz que time tem futuro brilhante pela frente

Redação, Estadão Conteúdo

24 de abril de 2019 | 12h34

Com uma rodada de antecedência, o Atlético-MG está fora da Copa Libertadores. Foi derrotado pelo Nacional, do Uruguai, na noite de terça-feira, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, e não tem mais como se classificar às oitavas de final - no máximo briga pelo terceiro lugar do grupo para ir à Copa Sul-Americana. Além disso, perdeu o título do Campeonato Mineiro para o rival Cruzeiro no último sábado e está sem técnico desde a demissão de Levir Culpi há duas semanas - Rodrigo Santana, do time sub-20, é o interino desde então.

Em meio a toda essa turbulência, o zagueiro Leonardo Silva, um dos mais experientes do elenco atleticano, definiu o momento do clube como uma "tempestadezinha". Mas acredita que o Atlético-MG terá um "futuro brilhante", já que a aposta agora é o Campeonato Brasileiro, que começará neste sábado.

"Vamos trabalhar bastante para chegar firme no Brasileiro e a gente conta com a presença do torcedor, conta com o apoio dele, pois a fase é muito difícil neste momento, mas no sábado (contra o Avaí) já queremos entrar muito firme, com o pensamento de brigar na parte de cima. Uma 'tempestadezinha' que a gente está atravessando, mas o futuro é brilhante, pois somos homens e vamos treinar bastante, já que temos uma equipe muito qualificada com pai de família, com gente séria, que vai trabalhar muito para fazer o melhor neste Brasileirão. Então, temos que trabalhar todos juntos, time e torcida, para dar a volta por cima", afirmou o zagueiro.

Com três pontos no Grupo E, o Atlético-MG está em terceiro lugar e não tem mais como alcançar Cerro Porteño e Nacional-URU, que estão com 12. O Zamora ainda não pontuou e é o rival do time na luta por uma vaga na segunda fase da Sul-Americana. Os dois farão um confronto direto no próximo dia 7, na Venezuela.

"Nosso sentimento é de tristeza. Da mesma maneira que o torcedor sofre, nós sofremos também, pois trabalhamos forte, duro e ninguém entra em campo para perder ou sem vontade. Acho que a equipe está se dedicando ao máximo, evoluiu muito nesses últimos 10 dias. Fizemos três ótimos jogos - os dois da final do Mineiro e desta terça contra o Nacional -, no meu ponto de vista. Dentro de um processo, o torcedor pode ter certeza que vamos trabalhar bastante para dar a volta por cima e trazer um resultado de vitória", completou Leonardo Silva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.