Ricardo Saibun/Divulgação - 22/3/2013
Ricardo Saibun/Divulgação - 22/3/2013

Léo vê Santos em evolução e diz que Vila Belmiro pode ajudar em clássico

Time santista vai enfrentar o Palmeiras nas quartas de final do Campeonato Paulista

Sanches Filho, Agência Estado

23 de abril de 2013 | 12h08

SANTOS - Mesmo sem ter que dividir as atenções com a Copa Libertadores, como os outros grandes clubes de São Paulo, o Santos oscilou durante a disputa da fase de classificação do Campeonato Paulista e nem sempre apresentou um futebol consistente. Para o lateral-esquerdo Léo, porém, o time mostrou força nas últimas partidas e chega ao mata-mata do torneio estadual em um bom momento.

"Agora não tem mais margem para erros. Estou feliz porque o time vem reencontrando seu melhor futebol, com posse de bola e volume de jogo", disse o lateral-esquerdo santista, lembrando que o time venceu as últimas três partidas que disputou, duas delas pelo Campeonato Paulista. "Nos dois últimos jogos, o Santos se comportou melhor", completou.

Terceiro colocado na fase de classificação do Paulistão, o Santos vai enfrentar o sexto Palmeiras nas quartas de final e mandará o jogo na Vila Belmiro por ter feito uma campanha melhor. Apesar de minimizar a vantagem, Léo admitiu que a pressão da torcida na Vila Belmiro poderá ajudar o seu time.

"A vantagem é muito pequena, só o direito de jogar na Vila Belmiro. Poucos estádios no Brasil exercem tamanha pressão. A gente sabe como funciona, sabe a panela de pressão que é", afirmou.

No clássico deste sábado, o Palmeiras não terá o goleiro Fernando Prass, contundido. Além disso, o jogo antecederá a viagem do adversário ao México, onde vai enfrentar o Tijuana, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, na próxima terça. Para Léo, porém, essas situações, não deixarão o jogo mais fácil para o Santos.

"Nenhum desse fatores interfere. O Bruno (substituto de Fernando Prass) é um grande jogador", disse. "Quando o Palmeiras entrar em campo, vai pensar só no Santos. Na viagem, eles só vão pensar depois", completou. "Se trata de um clássico. E clássico pode ter surpresas, não vejo favoritismo", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.