Arquivo/AE
Arquivo/AE

Leonardo acha normal Berlusconi cobrar Ronaldinho Gaúcho

Para o técnico brasileiro, dirigente acerta ao exigir o máximo rendimento do principal jogador de seu time

EFE

19 de setembro de 2009 | 12h10

O técnico do Milan, o brasileiro Leonardo, disse que o proprietário do clube italiano, o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, faz o que deve quando exige o máximo de rendimento de Ronaldinho Gaúcho, que voltou a ter suas habilidades e sua concentração questionadas.

Veja também:

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Numa entrevista coletiva concedida na sede esportiva do Milan no norte da Itália, Leonardo negou que algo preocupante esteja acontecendo com Ronaldinho Gaúcho. Mas não desmentiu os rumores sobre a "decepção" de Berlusconi com o jogador.

"O presidente tem que agir como presidente, e com Ronaldinho Gaúcho está fazendo isso: ele pede a um jogador que foi Bola de Ouro que faça o que é capaz de fazer, dando o máximo possível", afirmou o técnico.

Ronaldinho Gaúcho "às vezes demora a encontrar espaço e a se movimentar em campo, mas eu também tenho que ser bom para encontrar soluções. De qualquer maneira, é normal que um Bola de Ouro esteja na mira de todos", acrescentou Leonardo sobre as cobranças feitas ao meia-atacante.

O treinador disse ainda que, por estar em contínua observação, Ronaldinho Gaúcho se sente ainda mais pressionado. Mas, apesar disso, garantiu que o jogador pode fazer coisas positivas este ano.

"Parece que Ronaldinho Gaúcho está sempre sob observação. Cada participação individual é avaliada uma a uma. Ele é um Bola de Ouro e é normal que seja observado, mas acho que há muitas coisas a serem levadas em conta além de uma simples avaliação", comentou o técnico.

"Tenho uma relação direta e falo de tudo com Ronaldinho. Ele é uma personalidade pública e cada coisa que faz fica em evidência. Ele também deu sua contribuição, sobretudo em seu passado no Barcelona. Não acho oportuno falar se ele chega tarde ou não em casa. Devemos nos concentrar apenas em seus aspectos como jogador", acrescentou Leonardo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.