Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

Leonardo desaprova cobrança de Tuchel por reforços no Paris Saint-Germain

Dirigente brasileiro deixa claro que o treinador tem que se adequar às diretrizes do clube

Redação, Estadão Conteúdo

03 de outubro de 2020 | 09h46

A goleada por 6 a 1 sobre o Angers na sexta-feira não amenizou o clima conturbado internamente no Paris Saint-Germain. Diretor esportivo da equipe francesa, Leonardo não gostou da cobrança do técnico Thomas Tuchel por reforços. O brasileiro deixou claro que o treinador tem que se adequar às diretrizes do clube.

Antes da vitória tranquila sobre o Angers, com dois gols de Neymar, os seus primeiros no Campeonato Francês, Tuchel havia dito que o elenco está enfraquecido em relação à temporada passada e que carece de contratações. Leonardo ficou insatisfeito e afirmou após o jogo que ele tem que respeitar a política esportiva do clube.

"Se alguém não está feliz, é fácil, conversamos", disse Leonardo em entrevista coletiva. "Mas se ele decidir ficar, ele deve respeitar as políticas esportivas, as regras internas", afirmou, peremptoriamente.

"Não gostamos da declaração. Eu pessoalmente não gostei, e o clube não gostou. Todos vivemos, e não só no futebol, em uma situação muito, muito séria (pandemia)", completou o dirigente brasileiro, citando a redução de gastos na janela de transferência em razão da perda financeira provocada pela pandemia.

Na véspera do duelo, o técnico alemão foi questionado pelos jornalistas sobre como enxergava a qualidade do plantel após a saída de alguns jogadores importantes, como Thiago Silva, Meunier e Cavani, e a falta de reposição para essas peças.

À frente da equipe em sua terceira temporada, Tuchel disse que o PSG deve "enfrentar a realidade" que muitos jogadores foram embora e que o atual campeão francês e finalista da Liga dos Campeões pode ter de precisar diminuir as expectativas neste ano. Até o momento, o lateral Florenzi foi o único reforço oficializado.

"Decidimos as coisas internamente. Não precisamos isso de jeito nenhum. Não é uma questão sobre a janela de transferências, é sobre a forma. O importante é que se para ficar no clube, você tem que estar feliz. Precisamos do desejo de sofrer pelo clube, o espírito do sacrifício mesmo se estamos passando por um momento complicado", reiterou Leonardo.

O PSG tem até segunda-feira, quando se encerra a janela de transferências, para inscrever novos atletas. Segundo a imprensa francesa, o clube tenta as contratações dos meias Dele Alli, do Tottenham, e Aouar, do Lyon. O inglês viria por empréstimo e o jovem francês seria adquirido em definitivo.

No confronto, Neymar marcou seus dois primeiros gols na temporada e o time parisiense subiu para a segunda colocação na tabela de classificação com 12 pontos, após vencer quatro partidas consecutivas. O PSG volta a jogar agora apenas no dia 18 deste mês, após os jogos das seleções nacionais, diante do Nímes, fora de casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.