Giampiero Sposito/Reuters
Giampiero Sposito/Reuters

Leonardo diz que críticas de Berlusconi não incomodam

Treinador assegura que as declarações do presidente do Milan não afetam o rendimento da equipe

Agencia Estado

28 de agosto de 2009 | 15h04

O técnico Leonardo garantiu nesta sexta-feira que não se sente envergonhado com o fato de Silvio Berlusconi opine como o Milan deve jogar e quais jogadores devem ser escalados. Recentemente, as decisões do treinador foram criticadas pelo dirigente.

Veja também:

Italiano 2009/10 - tabela Classificação / Calendário / Resultados

especialITALIANO - Leia mais sobre o campeonato

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Berlusconi, dono e presidente do Milan, disse que a equipe deveria jogar com um trio ofensivo formado por Clarence Seedordf, Alexandre Pato e Ronaldinho. Leonardo deixou o holandês no banco de reservas, mas agora se declarou de acordo com o dirigente.

"Com o presidente falo de tudo, inclusive eu lhe pedi para estar perto de nós porque ajuda a presença de alguém que sonha como ele, e depois eu decido o melhor para a equipe, considerando sua opinião", disse Leonardo.

Leonardo assinalou que, assim como Berlusconi, também acha que a fórmula com dois atacante [Pato e Ronaldinho] é a melhor, com Seedorf mais recuado. "Ele fala como se todos estivessem 100%, mas não me causa vergonha, porque eu sou o treinador que faz as avaliações dia a dia".

O comandante da equipe assegurou que as declarações de Berlusconi não criam problemas entre os jogadores "porque eles também conhecem o presidente".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolMilanLeonardoSilvio Berlusconi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.