Arquivo/AE
Arquivo/AE

Leonardo rebate Berlusconi e diz que pode deixar Milan

'Se o presidente acredita que preciso sair, basta uma palavra. Não tem nenhum problema', diz o técnico

AE-AP, Agência Estado

20 de fevereiro de 2010 | 16h23

O técnico Leonardo deixou claro sua insatisfação com as críticas feitas pelo presidente do Milan, Silvio Berlusconi. Neste sábado, o brasileiro garantiu que basta apenas uma palavra do dirigente para que ele deixe o clube.

"Se o presidente acredita que preciso sair, basta uma palavra. Não tem nenhum problema, temos que procurar a tranquilidade para a equipe. Repito, basta uma palavra e não haverá custo nenhum", salientou Leonardo.

Primeiro ministro italiano e presidente do Milan, Berlusconi teria dito após a derrota para o Manchester United por 3 a 2, em partida realizada em Milão pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, que a equipe "tem tudo para ganhar, e tudo o que tem feito é jogar bem".

VEJA TAMBÉM:
\"lista\" ITALIANO - Leia mais da competição
\"tabela\" ITALIANO - Tabela / Classificação
Há treze anos no Milan, Leonardo ressaltou sua história para pedir maior liberdade no cargo. "A minha história é muito clara. O que me liga ao clube é estima, amizade e afeto. Tenho uma posição e procuro trabalhar com autonomia e liberdade, que nunca perderei. A minha liberdade é intocável", acrescentou.

O brasileiro ainda fez questão de defender os jogadores, além de ressaltar a determinação do elenco. "A equipe precisa ser defendida. Todos fizeram muitas vezes mais do que foi pedido. Todos deram a alma e produziram um jogo extraordinário, nesse aspecto irei defendê-los. O Milan jogou melhor que o Manchester", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.