Leonardo vira ?maestro? no São Paulo

Assédio das garotas, torcedores pedindo autógrafos, câmeras e uma multidão de repórteres. Tudo para ouvir o novo ídolo do São Paulo. Bastou um jogo para o meia Leonardo já despontar como comandante da equipe. Com dribles, passes precisos e boa movimentação, o jogador já ganhou um apelido de seus companheiros. O de maestro. "Estão querendo me dar uma força, pois estou chegando agora", brincou. Humilde, porém, preferiu dividir os méritos com o companheiro. "Foi bom poder dar minha parcela de contribuição para os companheiros." E alerta que ainda existe muito para melhorar. "Estamos nos primeiros passos de um ciclo. Espero poder, pelo menos, manter o nível." Nelsinho Baptista, mais sereno, afirmou que o jogador "vai evoluir ainda mais e ser útil pela personalidade." A inteligência e liderança do novo capitão, foram frizadas pelos companheiros. "Ele melhorou o rendimento do nosso meio-de-campo. Organizou nosso toque de bola", frisou Fábio Simplício. "O time é a orquestra e o Leonardo o maestro", enfatizou Luís Fabiano, o artilheiro da tarde. O atacante, jogando gripado, foi o autor de dois gols e após a partida, com febre, mostrou-se um pouco chateado pelo fato de a diretoria estar procurando um novo jogador para a posição. "Isso incomoda um pouco. Fiz o meu papel, mas se insistem no assunto de contratar um reforço é porque estão precisando", afirmou. "Garanto que ajudei um pouco a equipe."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.