Leoz: eliminatórias podem encurtar

O presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, Nicolás Leoz, negou neste sábado que a Uefa esteja contra o atual sistema de disputa das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo, que dura três anos e no qual todas as seleções jogam entre si em jogos de ida e volta. Em entrevista ao jornal ?ABC Color?, do Paraguai, o dirigente esclareceu que a entidade européia apenas quer que a duração do torneio, nas próximas edições, seja encurtada. ?Não é que a Uefa não quer este sistema, apenas que os clubes esperam que para o próximo mundial seja encurtada a duração do torneio. Em vez de fazer três anos de eliminatórias, faríamos em dois anos e meio ou dois?, disse Leoz, ao mesmo tempo em que negava que a Fifa seja contra o atual sistema de disputas.O dirigente máximo confirmou também o Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014 e negou a possibilidade de a competição ser organizada em conjunto com a Argentina. ?A América do Sul e o Brasil solicitaram sua postulação e os nove países do continente concordaram em apoiar. A última palavra é do presidente da Fifa (Joseph Blatter), mas quem propõe são as confederações, de maneira que não vejo problemas para que o Mundial de 2014 seja disputado no Brasil.?Comentando os torneios sul-americanos, Leoz disse que tem conversado com Lennart Johanson, presidente da Uefa, para a criação de uma nova Copa Intercontinental, que seja disputada entre os vencedores da Copa Sul-Americana e da Copa da Uefa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.