Leoz quer mais dinheiro pela Libertadores

Para aumentar mesmo o número de participantes da Libertadores a partir de 2004 - de 32 para 36 equipes -, o presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, o paraguaio Nicolas Leoz, espera receber mais dinheiro da TV. "Para confirmarmos essa alteração, queremos cotas maiores da televisão", avisou o dirigente.O movimento do inchaço da Libertadores partiu da Fox Sports - uma das detentoras dos direitos de transmissão -, que pediu a inclusão direta das duas equipes mexicanas. Atualmente, o México, que é filiado à Concacaf e não à Conmebol, tem de disputar repescagem com dois times venezuelanos para entrar no torneio. A mudança asseguraria a presença dos mexicanos e dos venezuelanos sem a necessidade de uma disputa preliminar.Se a mudança for confirmada, o regulamento sofrerá modificações. Com 9 grupos de 4 times, não será possível que dois de cada chave garantam a classificação para as oitavas-de-final, como ocorre nos moldes de hoje. Apenas o primeiro garantiria um lugar na segunda fase, além de outros 7 - provavelmente os melhores segundos colocados.Outro participante - O Brasil conta, hoje, com quatro vagas na competição continental. Os três melhores do Campeonato Brasileiro se juntarão ao Cruzeiro, campeão da Copa do Brasil. "Se aumentarmos o número, o critério de escolha de mais um time é das entidades locais. Brasil e Argentina devem fazer um torneio para definir a última vaga", ponderou Leoz.A CBF, que ainda não se pronunciou sobre o assunto, pode classificar para a Libertadores de 2004 mais um time pela campanha no Campeonato Brasileiro, o vice da Copa do Brasil, que é o Flamengo, ou promover um torneio, como sugeriu Leoz. Se o Santos conquistar o título nesta quarta, o Brasil ficaria com 6 equipes, pois o campeão tem lugar garantido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.