Rubens Chiri / São Paulo
Rubens Chiri / São Paulo

Lesão, banco e má fase: o péssimo ano de Rodrigo Caio no São Paulo

Titular na derrota para o Vasco, zagueiro deverá voltar à reserva diante do Sport

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

24 de novembro de 2018 | 05h00

O ano de 2018 para Rodrigo Caio, definitivamente, não deixará saudade. Após seguidas temporadas como titular da zaga tricolor, o jogador de 25 anos passou pela ansiedade de ir à Copa do Mundo, frustração com uma lesão que resultou em cirurgia e o fim do sonho de estar na seleção brasileira. Viu a concorrência interna no São Paulo torná-lo quarta opção e, no primeiro jogo como titular após sete partidas fora, perdeu por 2 a 0 para o Vasco com falha direta em um dos gols dos cariocas.

"Difícil falar, porque gente vinha de dois bons jogos. Não esperávamos a derrota, porque martelamos, mas não deu certo. Temos que levantar a cabeça e buscar os resultados nas rodadas finais do Brasileiro", disse o jogador, ao site oficial, após o tropeço em São Januário que impediu o clube de tomar do Grêmio a quarta posição na tabela do Campeonato Brasileiro.

No segundo gol vascaíno, Pikachu fez tabela pelas costas do defensor, que não o acompanhou e permitiu a finalização certeira do adversário.

Foi apenas a 23ª partida de Rodrigo Caio em 2018. Titular com Dorival Júnior e no início da passagem de Diego Aguirre, o zagueiro era cotado a ficar com a quarta vaga para a posição na lista de Tite da Copa da Rússia. Na segunda rodada do Brasileirão, em 22 de abril, durante o empate sem gols contra o Ceará, em Fortaleza, sentiu uma lesão no pé esquerdo que acabou obrigando o jogador a passar por cirurgia.

Além do tempo afastado para se recuperar, que decretou o fim de qualquer esperança de ir ao Mundial, o atleta viu os companheiros de setor no São Paulo crescerem de produção junto com a equipe, que liderou o Brasileirão. Em um rodízio promovido por Aguirre, Arboleda, Bruno Alves e Anderson Martins deram conta do recado e não permitiram qualquer brecha ao retorno do antigo titular.

Ele só ganharia nova oportunidade na equipe cinco meses após aquela partida contra o Ceará, em 22 de setembro, quando foi titular no empate em 1 a 1 contra o América-MG, no Morumbi. Por sinal, as três participações seguintes também vieram com resultados negativos: entrou no fim do empate (2 a 2) com o Botafogo, começou jogando e acabou substituído na derrota por 2 a 0 para o Palmeiras e foi titular no revés da última rodada, para o Vasco. 

A tendência é que Bruno Alves, que cumpriu suspensão no último jogo, volte a formar a dupla com Arboleda nesta segunda-feira, quando o São Paulo recebe o Sport no Morumbi, às 20h, pela penúltima jornada da competição nacional. Rodrigo Caio tem contrato com o clube até 2021. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.