Eddie Keogh/Reuters
Eddie Keogh/Reuters

Lesionado, Terry voltará em três semanas e jogará Mundial

Capitão do Chelsea se recuperará de lesão no joelho a tempo de disputar o torneio

Agência Estado

16 de novembro de 2012 | 12h57

LONDRES - O técnico do Chelsea, Roberto Di Matteo, revelou nesta sexta-feira, 16, que o capitão John Terry poderá voltar a atuar em três semanas, depois de ter lesionado o joelho no clássico contra o Liverpool, no último domingo, pelo Campeonato Inglês. Com isso, o zagueiro terá tempo hábil para atuar no Mundial de Clubes da Fifa, cuja estreia da equipe inglesa está marcada para 13 de dezembro.

 

A lesão no ligamento do joelho direito do defensor não foi grave como chegou a se temer em um primeiro momento, depois que o uruguaio Luis Suárez, do Liverpool, caiu de forma desajeitada sobre o jogador do Chelsea no confronto que terminou empatado por 1 a 1. Na ocasião, especulou-se a possibilidade de o zagueiro não atuar mais até o final deste ano.

 

No início desta semana, o Chelsea já havia anunciado que a recuperação de Terry iria "durar semanas, não meses", mas agora Di Matteo revelou com mais precisão esse período de afastamento. "Sobre Terry, estamos esperando um período de aproximadamente três semanas fora. Felizmente, não foi tão grave quanto achamos que seria, inicialmente", afirmou o comandante, em entrevista coletiva.

 

O Chelsea poderá ser o rival do Corinthians na final do Mundial, no dia 16 de dezembro, caso a equipe brasileira passe pela semifinal marcada para o dia 12, data da estreia corintiana na competição, e o time inglês confirme o seu favoritismo no dia seguinte. Os rivais dos dois times serão definidos no decorrer do torneio.

 

Sem poder contar com Terry, o Chelsea voltará a campo pelo Campeonato Inglês neste sábado, quando enfrentará o West Bromwich, fora de casa, pela 12.ª rodada da competição.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolChelseaTerryMundial de Clubes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.