Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

Lesões dos volantes levam Hudson a jogar no meio na estreia do São Paulo

Defensor volta à posição de origem diante do Botafogo por causa da ausência de Luan e Liziero

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2019 | 04h30

Mesmo com dois especialistas na lateral-direita – Bruno Peres e Igor Vinicius –, o São Paulo apostou na improvisação do volante Hudson no Campeonato Paulista. Deu certo. A intenção de Cuca era dobrar a aposta no Campeonato Brasileiro, mas as lesões devem atrapalhar seus planos logo na estreia. 

Para o jogo diante do Botafogo, por exemplo, os volantes Liziero e Luan estão contundidos. Com isso, Hudson deve voltar para sua posição de origem e jogar ao lado do estreante Tchê Tchê. Igor Vinicius deve ganhar uma nova chance na direita. Hudson pode ser volante, pelas ausências, mas é o titular da lateral. “O jogo com o Corinthians era para colocar o Hudson para dentro com a entrada do Igor Vinicius, mas o jogo não deixou. O Igor é um bom jogador, pensamos nele com carinho. O Hudson pode voltar para dentro. Não é certo, mas é uma hipótese”, disse Cuca. 

 Hudson foi bem principalmente na parte defensiva. Na final do Paulistão, ele teve trabalho para segurar Clayson, mas não comprometeu. A lateral não é uma novidade para o jogador. Em 2014, o ex-treinador Muricy Ramalho também fez essa improvisação e ele se tornou um dos principais jogadores da campanha que levou o São Paulo à semifinal da Copa Sul-Americana. 

“Eu me sinto bem atuando de lateral, claro que é uma adaptação novamente porque já se passaram cinco anos. Minha posição de origem é volante, mas não tenho vaidade nenhuma em jogar fora de posição”, disse Hudson, que renovou o contrato até dezembro de 2021. O vínculo anterior do volante tinha validade somente até o fim desta temporada. Com isso, o São Paulo quis se antecipar às chances de perdê-lo de graça a partir de julho, quando ele poderia assinar um pré-contrato com outro clube. 

Enquanto Igor Vinícius pode ganhar nova chance – sua última partida foi no empate diante do São Caetano, ainda na fase de grupos –, Bruno Peres parece cada vez mais distante do time titular. Ele perdeu espaço nos últimos meses e pode deixar o clube no meio da temporada, mesmo que esteja emprestado pela Roma até dezembro. Na briga pela lateral, hoje ele é a terceira opção da comissão técnica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.