Lesões marcam histórias de redenção e tragédia no futebol

As lesões nos joelhos já vitimaram muitos craques pelos gramados de todo o mundo, mas alguns deles sofreram um drama ainda maior: voltar de uma contusão e pouco depois se lesionar novamente. Aliás, alguns até têm suas carreiras encurtadas. Assim como o atacante Nilmar, é impossível não lembrar de Ronaldo, atualmente no italiano Milan.O atacante, quando defendia a Inter de Milão, deixou fãs, torcedores e até rivais perplexos ao desmoronar no gramado do Estádio Olímpico de Roma com o tendão patelar do joelho direito completamente rompido, no dia 12 de abril de 2000. O martírio de Ronaldo com seu joelho direito começou, na verdade, em 1996. Quando jogava pelo PSV Eindhoven, da Holanda. Lá, ele já sentiu um incomodo na região. Após ser examinado, ficou constatada a necessidade de uma cirurgia.Ronaldo voltou aos campos normalmente. Até que, em 1999, no dia 21 de novembro, na partida da Inter contra o Lecce, ele pisou em um buraco, torceu o joelho e rompeu o mesmo tendão patelar. De volta à mesa de operação e mais cinco meses de fisioterapia.A equipe milanesa jogava a partida de ida da final da Copa da Itália contra a Lazio, que vencia parcialmente por 2 a 1. Ronaldo entrou em campo já no segundo tempo, e quando partiu para cima da defesa adversária voltou a sofrer a mesma lesão no joelho.No dia 13 de abril de 2000, Ronaldo foi operado e demorou mais de um ano para voltar aos gramados. O regresso aconteceu no dia 18 de agosto de 2001, no jogo da Inter de Milão contra o Enymba, da Nigéria. Ronaldo marcou um gol e, com o apoio do então técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, foi para a Copa do Mundo de 2002, foi artilheiro do Mundial e o Brasil foi pentacampeão.Mas diferente do Fenômeno, alguns craques não tiveram o mesmo destino. Reinaldo, ídolo do Atlético-MG, teve de encurtar sua promissora carreira por constantes nos joelhos. O atacante sofria com o menisco lesionado em 1973, em um jogo contra o Ceub, válido pelo Brasileiro daquele ano. Afastado dos gramados definitivamente, o jogador virou dependente da cocaína, e foi parar até na cadeia, em 1996, sob acusação tráfico de drogas quando foi pego com dois traficantes em seu carro. Julgado, acabou absolvido por falta de provas e se recuperou do vício.Outro que sofreu com seguidas lesões no joelho foi Garrincha. Mas, diferente de Reinaldo, teve um destino ainda pior. O lendário ponta-direita que brilhou no Botafogo e na seleção tinha artrose nos dois joelhos e as pancadas sofridas pelos adversários só agravavam ainda mais o problema.O craque precisou de cirurgia e muitos dizem que após a operação ele nunca mais foi o mesmo. Sua carreira foi sucumbindo com o passar dos anos e ele acabou sendo vencido pelo alcoolismo e morreu no dia 20 de janeiro de 1983, aos 49 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.