Lesões musculares preocupam Santos

Depois de sucessivas contusões musculares, a comissão técnica do Santos está em alerta e já programou um trabalho de cinco dias em Atibaia a partir do dia 1º, aproveitando a folga na tabela. Jogadores como Giovanni estão tendo uma programação de treinamento específica, para evitar que o cansaço se transforme em contusão. O atacante foi para o Santos assim que acabou o campeonato grego e não teve férias. Ávalos é outro exemplo. Ele deixou o campo machucado na quarta-feira e tinha atuado em todos os jogos da temporada. "Muitas vezes o jogador entra com uma fadiga muscular maior do que outros e temos avaliado isso com o preparador físico e com o fisioterapeuta de forma constante", disse o médico Carlos Braga. Ele admite a estatística alta de lesão muscular. "Isso está nos preocupando a ponto de nos reunirmos semanalmente para avaliar esses jogadores", continuou, explicando que as duas contusões de quarta-feira - Ávalos e Diego - eram inesperadas. Braga explicou que alguns jogadores estão tendo tratamento especial. É o caso de Paulo César, que está recuperado da contusão mas só vai entrar em treinamentos na terça-feira, com previsão que volte de 11 contra o Flamengo. O trabalho visa também adaptar os jogadores ao calendário puxado do futebol brasileiro. "É preciso adaptar o atleta a essa condição de estresse muscular, evitando atividades de muita força e dando mais ênfase às partes aeróbica", disse Carlos Braga, planejando um treinamento diferenciado para os dias que o time estará em Atibaia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.