Divulgação/Atlético-MG
Divulgação/Atlético-MG

Levir Culpi critica ansiedade do Atlético-MG e lamenta lesões

Para a estreia na Copa Libertadores, na quarta-feira, o técnico não poderá contar com Lucas Pratto e Marcos Rocha, lesionados

Estadão Conteúdo

15 de fevereiro de 2015 | 10h57

Apesar da vitória sobre o Democrata, na noite deste sábado, Levir Culpi deixou o gramado do Independência preocupado. O técnico ficou insatisfeito com a ansiedade da equipe no ataque e lamentou as baixas para a estreia na Copa Libertadores, na próxima quarta-feira. Lucas Pratto e Marcos Rocha deixaram o campo machucados ainda no primeiro tempo e estão fora do jogo contra o Colo Colo, em Santiago.

"O jogo não foi o que eu esperava. O ponto mais crítico foram as contusões e aí se justifica o elenco de 35 jogadores. Mas temos substitutos, temos que confiar neles e eles têm que se encaixar", ponderou o treinador, que não deixou de considerar o maior ímpeto dos rivais por enfrentar um dos favoritos ao título do Campeonato Mineiro.

"A gente esperava bons e maus momentos nesse começo de temporada. Passamos por três times bem organizados, com aquele desejo de fazer uma boa apresentação, aparecer, jogar bem, isso dificulta", analisou.

Na avaliação de Levir Culpi, o maior problema do Atlético neste sábado foi a ansiedade no ataque. "Depois do 2 a 0, estivemos perto de ampliar, fazer o terceiro gol, o que daria uma tranquilidade maior, mas o Democrata também criou chances. Tivemos uma posse de bola muito boa, principalmente no primeiro tempo, e não gostei muito das conclusões.

Para o jogo de quarta, o treinador já avisou que vai escalar Jô na vaga de Pratto. "Estamos preparando o time para quarta, substituir os dois, faz parte do nosso trabalho. O Jô tem qualidade, experiência de Libertadores e vai ser muito útil. Posso adiantar que ele começará jogando na quarta", revelou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAtlético-MGLevir Culpi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.