Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Levir Culpi elogia elenco e prega continuidade ao ser apresentado no Santos

Comandante projeta time forte nas três competições que disputa

O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2017 | 18h46

O novo técnico do Santos, Levir Culpi, fez elogios ao elenco e pregou continuidade ao ser apresentado oficialmente no clube, em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira, em Santos. O treinador demonstrou motivação, projetou um time forte nas três competições que o clube disputa nesta temporada (Copa Libertadores, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro) e reforçou a confiança no grupo de jogadores.

"É difícil entrar rápido assim e já ir para jogo, mas é emocionante. Estou muito feliz, motivado e espero somar, pois esse time já tem alguns valores ótimos. O clube fala por si. Temos a incumbência de manter essa tradição do Santos de ser um time vencedor. Temos três competições importantíssimas. Falei agora há pouco com os jogadores. Se nos estivermos juntos, a nossa possibilidade de vencer uma dessas competições - ou todas - é muito grande. Confio na capacidade de todos. Espero colher ótimos resultados e ser muito feliz aqui", projetou o comandante.

Levir Culpi procurou minimizar a importância do tempo de contrato firmado com o clube santista - de seis meses - e revelou estar consciente que a permanência dele depende diretamente da obtenção de resultados rápidos em campo.

"Não é verdade (que é curto). Já viu contrato de seis meses para um técnico? Se eu durar seis meses, vai ser muito longo. Infelizmente, tenho que te dar essa resposta. Não existe, em seis meses, transformar completamente (a filosofia de trabalho). Penso em ser mais um e acrescentar mais um pouquinho. O trabalho está ótimo. O Dorival (Júnior) ficou dois anos, o time tem estabilidade. A questão é dar continuidade e ir atrás de resultados", enfatizou o técnico.

O novo comandante também destacou que buscará manter um bom ambiente de trabalho entre jogadores, comissão técnica e diretoria - um dos motivos da saída de Dorival Júnior teria sido problemas de relacionamento entre o auxiliar Lucas Silvestre (filho do treinador) e alguns jogadores - e não descartou dispensar quem eventualmente esteja se sentindo incomodado.

"O ambiente de trabalho tem muita influência na produtividade. Penso muito nisso. A ideia é procurar fazer um ambiente que todo mundo se sinta feliz. Se alguém não estiver satisfeito, é importante que essa pessoa saia. Porque você insatisfeito no trabalho está muito próximo do fracasso", frisou Levir Culpi.

O técnico terá tempo para apenas um treinamento com o grupo santista antes do clássico diante do Palmeiras, nesta quarta-feira, às 21h45, marcado para o estádio da Vila Belmiro, em Santos. Por isso, ele deverá manter a base que está sendo escalada pelo interino Elano.

"Não posso te responder tudo. Na verdade, estou me apoiando bastante neles (comissão técnica). Preciso de um apoio inicial para ter uma leitura e tomar umas decisões. A hora que a bola rola tenho alguma noção, não vamos mexer muito na base, dar continuidade ao máximo e amanhã (terça-feira) já definir. Não vai ter muita diferença", concluiu Levir Culpi.

A grande novidade do time contra o Palmeiras deverá mesmo ser o retorno de Lucas Lima. O meia estava afastado da equipe devido a um estiramento no músculo da coxa direita, sentido no jogo contra o Coritiba, no dia 20 de maio, válido pela segunda rodada do Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.