Levir divulga carta e diz que se tornou um 'amigo dos atleticanos'

Demitido do Atlético Mineiro na quinta-feira, o técnico Levir Culpi publicou uma carta nesta sexta para se despedir da torcida do clube. O treinador, que chorou ao se pronunciar pela última vez na Cidade do Galo logo após ser informado de sua demissão, disse que imaginava "estar calejado o suficiente para algumas situações", mas que o momento "extrapola a razão".

Estadão Conteúdo

27 Novembro 2015 | 17h14

"Após 30 anos de carreira, imaginei estar calejado o suficiente para algumas situações.

Enfrentei outras despedidas dolorosas. Logo no meu primeiro trabalho como treinador, ao deixar o Juventude, de Caixas do Sul, não consegui nem sequer entrar no vestiário para me despedir. Do lado de fora, me deparei com o sisudo Celso Roth, meu preparador físico, e fomos às lágrimas", relata Levir, contando também que houve uma "comoção imensa" quando saiu do Cerezo Osaka, do Japão, depois de seis temporada.

"Agora, me deparo novamente com um momento que extrapola a razão. O que era para ser um simples tchau ganhou proporções impensadas. Tenho recebido inúmeras mensagens, ligações de carinho e apoio e lendo textos e mais textos na internet e imprensa que me comoveram demais. Fiquei com a certeza de que deixei de ser profissional do ''Galo'' para me tornar um amigo dos atleticanos. E que valeu muito a pena. Vocês são muito legais! Obrigado", escreveu o treinador.

Levir Culpi ficou 20 meses na direção do Atlético-MG nesta sua quarta passagem. Foram 33 vitórias, 11 empates e 18 derrotas. Conquistou a Copa do Brasil de 2014 e o Mineiro deste ano. No Brasileirão, levou o time ao vice-campeonato.

Mais conteúdo sobre:
futebolAtlético-MGLevir Culpi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.