Levir fala em ?armação extra-campo?

O técnico do Atlético-PR, Levir Culpi, atribuiu a uma "armação extra-campo" a derrota deste domingo para o Vasco, por 1 a 0, que tirou a equipe da liderança da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. O treinador foi enfático ao afirmar que fatos como o apedrejamento do ônibus do clube na chegada a São Januário, além da pressão feita pelos torcedores vascaínos, influenciaram no resultado, que deixou a equipe paranaense na segunda colocação, com 85 pontos, um a menos que o líder Santos."Fomos vítimas de uma armação. Todo esse clima criado durante a semana teve peso determinante em termos psicológicos", disse Culpi. O treinador ficou irritado especialmente com dois episódios: com a pedra que estilhaçou o vidro traseiro do ônibus que transportava os jogadores - ninguém se feriu - até o estádio e o fato de o vestiário não ter sido aberto para os atletas paranaenses se aquecerem no gramado. "Não questiono o resultado dentro do campo. O Vasco teve mais competência nas finalizações e nós não aproveitamos as nossas." Para Culpi, o Atlético-PR realizou uma boa partida, mas pecou ao deixar de aproveitar suas oportunidades ofensivas. Destacou que o desespero do Vasco pela vitória, para se livrar da ameaça de rebaixamento para a Segunda Divisão do Nacional, também foi um fator decisivo no confronto."O Atlético-PR enfrentou um time que estava dando seu último suspiro.Foi uma final de Copa do Mundo para o Vasco", frisou Culpi, já prevendo que também terá dificuldades na última rodada da competição, no próximo domingo. "Agora, será com o Botafogo, que também luta pelo rebaixamento. Mas, o Atlético-PR vai cumprir o papel dele. Até porque, sempre foi difícil permanecer na liderança." O discurso entre os jogadores do Atlético-PR foi o de manter a motivação na disputa pelo título do Brasileiro, apesar de não dependerem mais de seus resultados para o triunfo. Mesmo assim, não conseguiram disfarçar a frustração com o resultado, "O time jogou bem, mas desperdiçou muitas oportunidades. Infelizmente não deu. Temos chances e vamos lutar até o fim", disse o líder da artilharia do Brasileiro, com 33 gols, o atacante Washington. "Se o Vasco jogar, com a disposição de hoje, contra o Santos, poderá tirar pontos deles também." Companheiro de ataque de Washington, Dênis Marques foi ainda mais sucinto ao comentar as dificuldades do Atlético-PR: "vamos esperar para ver o que vai dar", lamentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.