Levir lamenta chances perdidas e reclama de violência do Joinville

O Atlético-MG não passou de um empate por 2 a 2 diante do Joinville no último domingo, em Santa Catarina. O resultado deixou a equipe a sete pontos do líder Corinthians, ainda na segunda colocação do Campeonato Brasileiro, e foi bastante lamentado pelo técnico Levir Culpi, que apontou as inúmeras chances perdidas pelos mineiros na partida.

Estadão Conteúdo

28 de setembro de 2015 | 08h57

"O jogo foi decidido na falta de aproveitamento das oportunidades criadas. Foram muitas, umas cinco, seis, sete chances para fazer e fizemos só dois gols. Foi mais por aí", declarou o treinador após o apito final.

Mas não foi só isso que irritou Levir. O técnico atleticano também mostrou insatisfação com a violência dos jogadores do Joinville durante a partida, que resultou inclusive em uma lesão do meia Dátolo, que sofreu um grande corte na perna depois de uma entrada de Anselmo.

"Durante o jogo, teve a pressão exercida pela torcida e dos jogadores do Joinville, uma pressão sem sentido, porque se alguém saiu prejudicado foi o Atlético-MG. Íamos bater um lateral rapidamente e o jogador com cartão amarelo impediu. O que o juiz deveria ter feito? Distribuíram pancada, não foi jogo", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoAtlético-MG

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.