Levir quer festa contra o Palmeiras

O técnico do Botafogo, Levir Culpi, frisou hoje que a partida de sábado, contra o Palmeiras, pelo quadrangular final da Série B do Campeonato Brasileiro, será uma grande confraternização, marcada pela tranqüilidade e "de caráter festivo". Por isso, o treinador disse que poderá substituir qualquer jogador do Alvinegro que venha a cometer uma falta violenta. "Será um jogo sem faltas, aberto e digno dos grandes clássicos. Mas se algum atleta do Botafogo for violento, o substituo na hora", afirmou Levir. S Segundo ele, o que o Alvinegro deseja é realizar uma boa apresentação e cumprimentar o adversário. "É o tipo de partida em que vão ficar com raiva do treinador." Com este pensamento, Levir fez algumas modificações na equipe. O meia Valdo, que ainda não se recuperou completamente da fratura no antebraço esquerdo, nem sequer viaja para São Paulo. O jogador só vinha atuando porque o Botafogo precisava da sua presença em campo. "Como agora, a classificação já está garantida, não tem porque forçar a escalação", disse o treinador. Neste caso, o lateral-esquerdo Daniel será o substituto do veterano jogador. Ele vai atuar improvisado ao lado de Almir, recuado para o meio-de-campo para que Camacho seja poupado. Tanto Camacho quanto Túlio, que cede sua vaga para Gedeil, estão no limite do desgaste físico, segundo Levir, e por isso vão ficar no banco de reservas. Edvaldo formará a dupla de ataque com Dill, pois Leandrão recebeu três cartões amarelos e cumpre suspensão. Depois do jogo, Levir revelou que vai viajar para o litoral do Paraná onde pretende descansar da cansativa tarefa de trazer o Botafogo de volta à elite do futebol brasileiro. "Vou sair para pescar muito robalo", brincou o treinador. Quando voltar, em 2004, o treinador se reunirá com o presidente Bebeto de Freitas para traçar os planos para a nova temporada. E preparar o Alvinegro para as comemorações do seu centenário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.