Rodrigo Gazzanel/ Estadão
Rodrigo Gazzanel/ Estadão

Liberado de treino, Michel Bastos gera polêmica ao participar de evento de pôquer

Meia do São Paulo recebe sondagens de Santos e Cruzeiro

Marcius Azevedo, Estadão Conteúdo

27 Outubro 2016 | 17h50

O meia Michel Bastos foi liberado do treino desta quinta-feira pela diretoria por causa de problemas particulares, mas não escapou de mais uma polêmica. Na quarta-feira à noite, o jogador do São Paulo participou da abertura da primeira edição da etapa brasileira da Série Mundial de Pôquer, com outros jogadores, entre eles Moisés, Vitor Hugo, Alecsandro e Wellington, e logo, os torcedores, na redes sociais, criticaram o jogador.

Diretor executivo de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, tratou de colocar panos quentes na situação. "Aqui procuramos ajudar os jogadores. Ele me pediu para se ausentar do treino por problemas pessoais e aceitamos sua justificativa. O Michel continua como parte do grupo e amanhã (sexta-feira) vai treinar normalmente", afirmou Cunha.

O clube não entrou em detalhes sobre os problemas pessoais do jogador. A reportagem do jornal O Estado de S.Paulo apurou que a mulher de Michel Bastos teve complicações por causa de uma cirurgia e está internada. Sobre o evento de pôquer na noite anterior à ausência no treino, Marco Aurélio afirmou apenas que "fora do clube não há interferência" na vida dos jogadores.

A avaliação interna, no entanto, é que faltou um pouco de inteligência do jogador em relação ao momento. Michel Bastos vive uma fase muito ruim e dificilmente fica no clube para 2017. A diretoria, porém, não quer que ele se desvalorize ainda mais.

Michel Bastos será uma ótima moeda de troca para reforçar o elenco. Apesar da queda de rendimento no São Paulo, o meia tem bastante mercado. O clube já recebeu diversas sondagens, como, por exemplo, de Cruzeiro e Santos, mas só aceita liberá-lo por dinheiro ou algum jogador que realmente posso acrescentar qualidade ao elenco.

Em entrevista coletiva no CT da Barra Funda, o zagueiro Maicon não quis criar polêmica. "O Michel, independentemente de fase boa ou ruim, aqui dentro sempre teve comprometimento com o trabalho. Se ele foi liberado pela diretoria, não cabe a mim falar do Michel Bastos, um grande amigo, companheiro. Cada um tem seus problemas particulares. Deixo esse assunto Michel Bastos para a diretoria resolver", afirmou o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.