Liberado, Maradona viajará para SP

A passagem de pouco mais de 24 horas de Diego Armando Maradona pelo Brasil começou na noite de ontem como um exemplo de solidariedade e terminou na manhã desta quinta-feira como um caso de polícia. Hoje pela manhã, quando tentava embarcar de volta para Buenos Aires, o ex-craque se envolveu numa grande confusão no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro. Irritado por ter perdido o vôo das 7h30, ele e mais quatro pessoas provocaram tumulto no saguão e acabaram detidos pela Polícia Federal, acusados de agredir funcionários da companhia aérea, descato e por quebrarem uma porta de vidro. Liberado formalmente pela PF por volta das 11h30, Maradona ainda permanecia no aeroporto quando já passavam das 12h30. Ele deverá viajar para Buenos Aires ainda na tarde de hoje, mas a partir de São Paulo.A PF decidiu não abrir inquérito, mas o jogador deverá ser obrigado a voltar ao Brasil sempre que exigido pela justiça. Além disso, foi obrigado a pagar pelos estragos que provocou. Maradona estava acompanhado de um irmão, identificado apenas como José, o ex-jogador Mancuso (que passou por Palmeiras e Flamengo) e dois empresários. A detenção de Maradona provocou repercusão imedita. Um representante do Consulado da Argentina e um advogado do ex-craque se deslocaram para o aeroporto assim que foram informados do problema. Somente depois disso, é que o ex-craque foi liberado.Na noite de ontem, Maradona participou por 68 minutos de uma partida beneficente no Centro de Futebol do Zico e sentiu-se mal. Ao deixar o gramado, sentou-se à frente do vestiário e teve dificuldade de falar. Depois, começou a se mover de um lado para o outro rapidamente, preocupando seus amigos e o anfitrião da festa, Zico. Maradona ficou cerca de uma hora sentado num banco abanando-se com uma toalha. Ele falava pouco e evitava se levantar. Em seguida, pediu aos amigos um charuto. A presença do jogador causou um tumulto entre as pessoas que não puderam entrar, já que a capacidade do estádio é de 2.000 pessoas. O Jogo das Estrelas foi um evento beneficente promovido por Zico, que reuniu jogadores em atividade e ex-craques. O ingresso era um quilo de alimento não-perecível. Participaram da festa o meia Carlos Alberto, do Corinthians, além de estrelas do passado como Djalminha, Renato Gaúcho, Adílio, Andrade, Júnior, Jorginho, Bebeto, entre outros.

Agencia Estado,

22 de dezembro de 2005 | 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.