EFE
EFE

Libertadores: dinheiro dos ingressos será devolvido; Conmebol negocia com empresas aéreas

Quem tinha entradas para decisão no Chile terá prioridade na compra para nova sede, no Peru

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2019 | 08h53
Atualizado 06 de novembro de 2019 | 17h58

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, justificou na terça-feira a decisão da entidade de levar a final da Libertadores de Santiago para Lima e explicou a complexidade da reunião entre as partes envolvidasFlamengo e River Plate decidem no próximo dia 23 o título da competição em jogo único. "Houve consenso, mas não foi rápido. Vínhamos trabalhando a respeito de uma cidade havia mais de um ano e agora tivemos de encontrar a opção mais viável", declarou o dirigente em entrevista após o encontro na sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai.

A definição de levar o jogo para o Estádio Monumental de Lima, no Peru, foi feita em encontro de mais de seis horas de duração entre representantes dos dois clubes envolvidos, da CBF, das confederações de Argentina e Chile e de Domínguez. Todos eles também estiveram presentes na entrevista.

Para Entender

Guia para entender os confrontos no Chile

Presidente diz que país está ‘em guerra’ diante das manifestações violentas; entenda o que está acontecendo

O dirigente disse que a decisão foi tomada depois de uma conversa com a ministra de Esporte do Chile, Cecilia Pérez, e de ter analisado a crise política que passa o país "em 360 graus". "A alternativa mais viável para todos, e tendo as garantias do governo peruano, é que o jogo seja realizado em Lima", afirmou. Curiosamente, o país também viveu problemas políticos nos últimos meses.

INGRESSOS

O presidente da Conmebol anunciou que devolverá o dinheiro dos ingressos dos torcedores que haviam comprado bilhetes para ver o jogo no Chile. Eles também terão preferência caso queiram entradas para a partida no Peru.

PASSAGENS AÉREAS

Por outro lado, o cartola não explicou se será possível reaver o valor das passagens aéreas compradas para Santiago, mas prometeu conversar com as empresas aéreas. É bem provável que o torcedor terá de assumir esse prejuízo. Já o Procon orientou os torcedores que se sentirem prejudicados a procurar o órgão respectivo em sua cidade. Leia a nota:

"Em razão das manifestações e protestos políticos que estão acontecendo em Santiago, capital chilena, a Conmebol decidiu alterar a final da Libertadores entre Flamengo e River Plate para Lima, Peru, no dia 23 de novembro. O @proconsp, vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania, orienta que o consumidor não pode ser prejudicado.

O torcedor é considerado consumidor pelo Estatuto do Torcedor e, portanto, tem os seus direitos garantidos pelo Código de Defesa do Consumidor. E ainda que a alteração tenha ocorrido por motivo de força maior e a Conmenbol não tenha culpa pelos motivos que ensejaram a mudança, a legislação prevê que ela responde perante os torcedores.

Em notícias divulgadas hoje (6/11), a Conmebol e o Flamengo disseram que os torcedores que já compraram ingressos terão preferência para o jogo em Lima ou terão o dinheiro devolvido.

Sobre as passagens e hospedagens, o @proconsp entende que as empresas devem compor um acordo com os consumidores. O @proconsp orienta que aqueles torcedores que tiverem problemas devem procurar o Procon de sua cidade para garantir os seus direitos."

MOTIVO DA TROCA DE SEDE

O presidente da Conmebol esclareceu que a decisão foi tomada devido às trocas no governo peruano e na presidência da federação de futebol do país, mas fez questão de dizer que todos esses temas estão superados. "O problema tinha a ver com a falta de autoridades, mas atualmente está completamente restabelecido." 

DATA E LOCAL DA FINAL

A grande decisão da Copa Libertadores entre Flamengo e River Plate continua marcada para 23 de novembro, no Estádio Monumental de Lima, no Peru, às 17h. /Com informações da EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.