Libertadores: Flamengo leva sufoco, mas vence o Cienciano

Resultado deixa time do técnico Joel Santana na liderança do grupo 4, com quatro pontos em duas partidas

Leonardo Maia,

28 de fevereiro de 2008 | 00h32

Parece que o Flamengo está se especializando em matar o seu torcedor do coração. Um gol de Marcinho, aos 44 minutos do segundo tempo, evitou um péssimo resultado. A vitória por 2 a 1 sobre o Cienciano, do Peru, na noite desta quarta-feira, no Maracanã, leva a equipe à liderança do grupo 4 da Copa Libertadores, com quatro pontos. Os peruanos permanecem com três.Veja também: Classificação Calendário / Resultados São Paulo arranca empate em sua estréia na LibertadoresNão foi uma grande atuação, mas na raça, e contando com uma arbitragem no mínimo duvidosa, com lances mal marcados contra os dois clubes, o Flamengo conseguiu superar a retranca do Cienciano. O time brasileiro tinha as melhores chances em lançamentos para Diego Tardelli e Souza, tentando aproveitar o posicionamento em linha da defesa adversária.Mas os vários impedimentos travavam o ataque rubro-negro. Não à toa, os peruanos chegaram com perigo primeiro. Depois de bate-rebate na área, a bola sobrou para Vassalo chutar forte e rasteiro para uma boa defesa de Bruno, aos 28 minutos do primeiro tempo. Finalmente a pressão rubro-negra surtiu efeito aos 39 minutos do primeiro tempo. Toró pegou rebote de escanteio e tocou para Souza que estava sozinho, atrás da zaga. O atacante chutou forte no alto, sem defesa para Flores, para marcar o primeiro gol do Flamengo na Libertadores.  Flamengo2Bruno; Leo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan    ; Cristian, Toró (Marcinho), Íbson e Kléberson (Jônatas); Diego Tardelli (Obina) e SouzaTécnico: Joel Santana Cienciano (PER)1Flores    ; Marengo, Solís, Romaña      e Bazalar; Guizasola, Ortiz, García     (Olceze) e Chiroque; Sawa (Corcuera) e VassalloTécnico: Franco NavarroGols: Souza, aos 39; Vassalo aos 46 minutos do primeiro tempo. Marcinho, aos 44 do segundo tempoÁrbitro: Ricardo Grance (PAR)Renda: R$ 605.691,00Público: 27.202 pagantesEstádio: Maracanã, Rio de Janeiro, RJE, quando parecia que o Flamengo venceria com facilidade, o Cienciano saiu para o ataque. Numa bola jogada na área, Bruno saiu mal e Vassalo tocou fraco para as redes de cabeça, no último lance do primeiro tempo. O susto fez despertar o Flamengo para o segundo tempo. Logo no primeiro minuto, Toró tabelou com Souza e entrou livre, chutando rente à trave. Sete minutos depois, Diego Tardelli tocou de letra na trave, depois de cruzamento de Juan.Aos poucos o ímpeto rubro-negro foi esbarrando na defesa peruana e a partida ficava cada vez mais tensa. Quando o empate parecia definitivo, e o Cienciano reclamava de um gol legal, as três substituições do técnico Joel Santana resolveram. Jônatas lançou Obina, que ajeitou de peito. Espertamente, Marcinho adiantou-se à jogada do companheiro e chutou na saída do goleiro, no último minuto.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa LibertadoresFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.