Libertadores: São Caetano perde em casa

O São Caetano decepcionou sua torcida ao perder para o América, do México, por 2 a 1, nesta quinta-feira à noite, no estádio Anacleto Campanella, no ABC, pela Taça Libertadores da América. A situação do time brasileiro ficou complicada dentro do Grupo 1, liderada pelo América, com sete pontos. O São Caetano tem apenas quatro pontos, em segundo lugar. Os brasileiros, agora, terão que dar o troco no dia 17 de março, quando haverá o jogo de volta. Esta foi a primeira derrota, em seis jogos, do Azulão sob o comando do técnico Muricy Ramalho. Desta vez, o time não jogou bem e não mereceu melhor sorte. Na verdade, o jogo foi bem mais difícil do que os jogadores do São Caetano esperavam. O time começou bem, encurralando o adversário em seu campo defensivo e criando boas chances. Mas, aos poucos, percebeu que os mexicanos eram bem rápidos e seriam perigosos, principalmente, nos contra-ataques. A primeira chance foi do América, numa cobrança de falta de Pardo. A bola passou a barreira, tocou no travessão e saiu, levando susto à torcida. O São Caetano voltou a equilibrar o jogo e devolveu em dobro a bola na sua trave. Aos 29 minutos, Ânderson Lima cobrou falta e a bola bateu na parte inferior da trave direita. Aos 32 minutos, Warley cruzou e Fabrício Carvalho desviou de cabeça, coma bola parando na trave esquerda. Os dois times voltaram para o segundo tempo do mesmo jeito. O São Caetano no seu 4-4-2 e tomando a iniciativa ofensiva, enquanto o América no 3-5-2 e explorando os contra-ataques. Desta forma, o América saiu na frente aos 24 minutos quando Pardo foi lançado pelo lado esquerdo e chutou forte. O goleiro Silvio Luiz rebateu, mas o próprio Pardo pegou o rebote para marcar o gol. O São Caetano não jogava bem. Embora tivesse o domínio do jogo, sofria para segurar os ataques do adversário. O empate foi "achado" num lindo lance de Marcinho. Ele pegou de primeira, da entrada da área, um rebote da defesa, aos 32 minutos. Mas o fraco futebol dos brasileiros foi castigado com mais um gol mexicano aos 42 minutos. Após cobrança de falta, Navia subiu sozinho para tocar de cabeça e fechar o placar.

Agencia Estado,

11 de março de 2004 | 21h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.